João Pessoa
Feed de Notícias

Funesc lança livros contemplados no edital do Prêmio Augusto dos Anjos

quarta-feira, 5 de novembro de 2014 - 09:05 - Fotos: 

A Funesc lança nesta sexta-feira (7) os livros contemplados pelo edital do Prêmio Literário Augusto dos Anjos, de 2013. O lançamento será às 19h, no Mezanino 2 do Espaço Cultural José Lins do Rego. Ao todo, serão lançados sete títulos.

Na categoria conto, são duas obras: “Cudegrude”, de Ailton Ramalho e “Os ratos amestrados fazem acrobacias ao amanhecer”, de Políbio Alves. No gênero cordel, as obras contempladas são “A história na visão de um pervertido sexual”, de Paulo Gracino e “Cangacionário”, de Gil Hollanda. No gênero poesia, será lançado o texto “Mistrais”, de Anna Apolinário. A estreia da categoria quadrinhos traz os títulos “Cantilena”, com texto original de Sérgio de Castro Pinto e ilustrações de John Monteiro, além de “Árvores”, de Val Fonseca.

O concurso que selecionou as obras foi realizado em 2013, com participação de autores nascidos ou radicados na Paraíba, rigor imposto para preservar o objetivo das Edições Funesc, que é o de incentivar a produção literária do Estado e aproximá-la da população. Para alcançar essa meta, além de publicar as obras, exemplares dos livros são disponibilizados em bibliotecas e também levados às escolas municipais e estaduais. Parte do material é entregue aos autores.

Ao todo, foram inscritos textos nos gêneros Poesia, Literatura Infantil, Conto, Romance, Cordel e Quadrinhos, com destaque para a estreia desses dois últimos para a edição 2013 do prêmio que, em sua versão anterior, em 2012, homenageou o escritor José Lins do Rego.

“Com a publicação destes livros – entre outros que virão – a Funesc, por intermédio de sua coordenação de Literatura e Memória Cultural, cumpre uma fatia de suas obrigações a contribuições do estímulo à produção e disseminação da cultura paraibana, particularmente no que diz respeito à produção literária contemporânea”, disse o presidente da Funesc, Lau Siqueira, no texto de apresentação das obras.

Os Autores

Ailton Ramalho nasceu em abril de 1952, em Recife (PE), mas há 40 anos mora em João Pessoa (PB). Tendo participado de concursos literários e publicado alguns livros de poemas por conta própria – alguns com alternativos formatos experimentais –, ele foi detentor do prêmio Novos Escritores, concurso literário promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), o que lhe possibilitou publicar “Beco de morar no medo”, seu primeiro livro de contos. Foi vencedor do Prêmio Literário Augusto dos Anjos – Edições Funesc 2013, na categoria Conto, com o texto “Cudegrude”.

Políbio Alves dos Santos nasceu em 1941, em João Pessoa. Formado em Ciências Administrativas, desde l974 possui o título de Cidadão Carioca, tendo vivido no Rio de Janeiro por mais de 15 anos. Poeta e escritor com textos publicados em antologias e periódicos nacionais e internacionais, como nos Estados Unidos, Alemanha, Portugal e Cuba, ganhou vários prêmios literários, alguns internacionais. Recebeu a Medalha Poeta Augusto dos Anjos, da Assembleia Legislativa da Paraíba, em 2001, e a Comenda Cidade de João Pessoa, que lhe foi ofertada pela Câmara Municipal, em 2002.

Foi editor da revista Presença Literária (de 1983 a 1985). Publicou o livro de contos “O que resta dos mortos”, pela editora d’A União, em 1983, e o livro de poemas “Varadouro”, com 2° edição por uma editora de Cuba, sendo sua 3ª edição publicada pela Editora Universitária da Universidade Federal da Paraíba em 2003.

Paulo Gracino é poeta cordelista paraibano nascido em 1969, na cidade de Guarabira, onde reside. É casado com Rosângela Araújo há 21 anos. Formado em História e Serviço Social. Atualmente, é funcionário público da Prefeitura de Guarabira. Publicou em 2013 o cordel “90 anos de encantos de um Pavão Misterioso”, em homenagem à obra de José Camelo de Melo Resende, que está completando 90 anos. “A História na visão de um pervertido sexual” é seu segundo cordel publicado.

Anna Apolinário nasceu em 1986. É natural de João Pessoa (PB). Poeta e pedagoga, publicou os escritos “Solfejo de Eros” (2010, Poesia, pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores, Rio de Janeiro). Premiada com o 4° lugar no VI Festival de Poesia Encenada do Sesc, PB, tem poemas publicados em várias revista literárias, tais como: Triplov, Mallarmargens, Germina Literatura, Samizdat, entre outras.

John Alisson Costa dos Santos (John Monteiro) nasceu em João Pessoa, cidade onde reside. Aos 21 anos tomou para si o sobrenome Monteiro, do pai, Iranildo Monteiro, pois foi ele a pessoa que lhe dera aquilo que viria a ser o seu primeiro contato com as artes visuais: uma coleção de livros infantis repletos de ilustrações. Assim, com o incentivo do pai, ele aprendeu a ler e a desenhar quase ao mesmo tempo.

Sua relação com a literatura o motivou a fazer Letras, curso que está terminando na UFPB, mas sem deixar de produzir suas obras. Começou a trabalhar com pintura em meados de 2005 e, desde então, vem participando de salões de artes visuais, dos quais recebeu premiações nas categorias Desenho e Pintura. A sua produção também envolve ilustrações editoriais e quadrinhos.

Sérgio de Castro Pinto nasceu em João Pessoa. Poeta e jornalista, formado em Ciências Jurídicas e Sociais, é professor de Literatura Brasileira na UFPB. Escreveu os livros de ensaio “Longe daqui, aqui mesmo – poética de Mário Quintana”, “A casa e seus arredores”, “Gestos lúcidos”, “A ilha na ostra”, “Domicílio em trânsito”, “O cerco da memória” e “Zôo imaginário”, tendo participado de antologias poéticas internacionais.

Nos Estados Unidos, teve trechos do poema Camões/Lampião traduzido por Fred Ellison, professor emérito da Universidade do Texas. Seu prêmio mais recente foi o Guilherme de Almeida, promovido pela União Brasileira de Escritores. Foi editor do suplemento literário Correio das Artes (do jornal A União e ocupa a cadeira de número 39 na Academia Paraibana de Letras, cujo patrono é o escritor José Lins do Rego. Recentemente, lançou o livro “Cristal dos Verões”, uma seleção de poemas de livros anteriores.

Paraibano de João Pessoa, Val Fonseca é formado em Educação Artística pela UFPB, com habilitação em Artes Visuais. Trabalha como ilustrador e, nas horas vagas, desenvolve suas próprias histórias em quadrinhos. Sua produção autoral, iniciada com mais firmeza em 2011, é fruto da paixão de colecionar revistas em quadrinhos. Desenvolve textos sobre histórias em quadrinhos e tiras para o Jornal Microfonia, de João Pessoa. Em 2013, participou de duas coletâneas em quadrinhos: AQC 100 Vezes, da Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo, e Sanitário 02 – Grandes Monstros da Humanidade, do extinto Coletivo WC. Vários destes trabalhos podem ser vistos no blog www.gibiarte.blogspot.com