Fale Conosco

4 de abril de 2011

Funesc discute propostas para implementar tribos indígenas na cultura



A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), através do Núcleo de Documentação e Pesquisa Musical reuniu nesta segunda-feira (4) os mestres da cultura popular das agremiações carnavalescas tribos indígenas da Paraíba. O objetivo do encontro foi discutir formas de implementar o trabalho dos grupos, dando maior visibilidade às atividades enquanto produto cultural não apenas durante o carnaval.

Participaram do evento a presidente da Funesc, Lu Maia, Lucas Pitanga, representando a Secretaria de Turismo de João Pessoa; Esmeraldo Marques, coordenador de música da Secretaria de Estado da Cultura, e Erasmo Rafael, secretário de Cultura de Boqueirão. Das 11 tribos indígenas existentes hoje em João Pessoa, apenas cinco enviaram representantes: Pele Vermelha, Tupinambá, Tabajaras, Africanos e Flecha Negra.

A reunião foi aberta com a exibição do documentário “Que Tapúias são vocês?”, vídeo amador realizado por José Reinaldo, que se encontra em fase de pré-edição. Em seguida, a roda de diálogo abordou ações em conjunto envolvendo entidades como a Funesc, Sebrae, Funjope, Secult, PBTur, Setur e Federação Carnavalesca de João Pessoa. Um dos pontos discutidos foi a inserção desse tipo de manifestação popular em eventos turísticos.

Entre as propostas apresentadas pela Funesc está a realização de uma exposição com as alegorias das agremiações, questão levantada por José Reinaldo, coordenador do Núcleo de Centro de Documentação e Pesquisa Musical da Fundação. Ele também sugeriu a possibilidade de um encontro das tribos do Carnaval Tradição.

Os representantes das agremiações indígenas concordam que é preciso divulgar o trabalho que vem sendo feito como forma de se levar adiante essa manifestação da cultura local. Um dos pontos discutidos durante o encontro foi a necessidade de criação de uma associação das tribos, o que lhes daria maior organização e dinamismo nas ações. A proposta partiu do Mestre Carbureto, da tribo Tupinambá, sendo apoiada pelos demais representantes de grupos.

“A Secretaria de Turismo acredita no potencial desse tipo de manifestação cultural enquanto produto turístico que deve ser levado ao público como tal”, disse o representante da Setur de João Pessoa, Lucas Pitanga.

Durante a reunião, Lu Maia disse que essa discussão é o primeiro passo para criar estratégias que garantam maior visibilidade à nossa cultura popular. “Esse primeiro passo é fundamental para abrir caminho e melhorar essa questão”, disse, assegurando que a Funesc está aberta para ouvir e buscar parcerias e que a discussão será levada a um número maior de entidades que possam trabalhar em prol da cultura popular.