João Pessoa
Feed de Notícias

Funesc define comissão julgadora do 2º ‘Desafio De Repente no Espaço’

segunda-feira, 4 de julho de 2016 - 17:18 - Fotos:  Thercles Silva

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) divulgou, nesta segunda-feira (4), os nomes que irão compor a comissão julgadora do 2º Desafio De Repente no Espaço, evento comemorativo de um ano do projeto “De Repente no Espaço”. As cinco duplas competidoras serão julgadas por Jonathas Falcão (da banda Seu Pereira e Coletivo 401) e poetas populares Edezel Bezerra, José Dantas, Djair Olimpio, Espingarda do Cordel e Ivanildo Vila Nova. Este último, que foi destaque na edição passada da batalha dos repentistas, agora presidirá a comissão de julgamento. A noite da poesia popular será nesta quarta-feira (6), às 19h, no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego. A entrada é gratuita.

O evento reunirá seis duplas de repentistas de diferentes Estados nordestinos, sendo cinco competindo e uma convidada. A segunda edição tem como participantes Rogério Meneses (PB) e Zé Viola (PI); João Lourenço (PB) e Hipólito Moura (PI); Raulino Silva (RN) e Raimundo Caetano (PB); Gilmar de Oliveira (PB)e Miro Pereira (RN); Luciano Leonel (PE) e Zé Carlos do Pajeú (PE) e as convidadas especiais Minervina e Soledade. No palco, eles prometem uma verdadeira batalha, a exemplo da primeira edição, realizada em janeiro deste ano.
A atividade promovida pelo Governo do Estado, por meio da Funesc, dá continuidade ao projeto permanente De Repente no Espaço, realizado mensalmente. A segunda edição especial – Desafio – tem como objetivo comemorar um ano de sucesso do projeto, que teve seu primeiro encontro realizado em julho do ano passado. A atração se repete na primeira quarta-feira de cada mês com uma dupla de convidados.

Sobre o projeto – “De Repente no Espaço” é um evento mensal da Funesc e faz parte do projeto de ocupação do Espaço Cultural. Os encontros acontecem na primeira quarta-feira do mês. A cada nova edição, o público conta com diferentes atrações da Paraíba e de outros Estados da região. De julho a dezembro de 2015, foram realizadas seis edições simples. Em janeiro de 2016, para abrir o ano em grande estilo, o projeto contou com um formato diferente – o Desafio De Repente – com a participação de seis duplas de repentistas.

Sucesso de público, a edição especial de janeiro lotou o mezanino do Teatro Paulo Pontes. Quase mil pessoas acompanharam o evento, tornando o local pequeno para o público. Na ocasião, a então presidente da Fundação, Márcia Lucena, garantiu que o próximo Desafio De Repente seria realizado dentro do teatro para acomodar melhor o público. Com a sua saída da presidência, a sucessora, Nézia Gomes, manteve a promessa e confirmou que o evento será no Paulo Pontes.

De fevereiro a maio, outras quatro edições simples foram realizadas na temporada 2016. O apresentador oficial e declamador é Iponax Vila Nova, coordenador do projeto, que, além conduzir as cantorias, realiza oficina de declamação e versos pelo Estado, dentro do projeto De Repente no Espaço.

Iponax Vila Nova – Filho do repentista Ivanildo Vila Nova. Considerado um dos mais importantes recitadores da nova fase da poética popular nordestina, Iponax gosta de interagir com o público, permitindo a ele fazer parte de sua poesia. Convidado para participar ou mediar os maiores festivais de viola do País, o poeta traz na bagagem muita experiência e a referência dos principais cantadores do Nordeste.

 

Repentistas do desafio

Rogério Menezes - Rogério Meneses Sobrinho nasceu no município de Imaculada, na Paraíba, onde iniciou sua carreira de repentista. É formado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (Fafica) e tem pós-graduação em Gestão Pública pela Associação Caruaru de Ensino Superior (Asces). Como poeta e repentista, tem quatro CDs gravados e participação em mais de dez coletâneas. Comanda diariamente o programa Canções de Viola, na Rádio Jornal do Commercio, em Caruaru, e apresenta o programa “Brasil, Cordel e Repente”, na emissora local de TV Nova Nordeste. Parceiro de cantoria de Vila Nova, Rogério Meneses é, sem dúvida alguma, um dos cinco maiores da atualidade. Juntos vencem oito de dez festivais que participam.

Zé Viola - Dono de uma voz privilegiada e um dos cantadores mais requisitados para os festivais de repentistas que acontecem pelo país. Além de CDs solo, nos quais interpreta belas canções da essência nordestina, esse piauiense de Bocaina já gravou discos com Moacir Laurentino, Ivanildo Vila Nova, Dedé Laurentino, entre outros feras do repente.

João Lourenço – Nasceu em Pilar (PB), nas terras do Engenho Corredor, na mesma propriedade rural onde nasceu o grande romancista José Lins do Rego. Começou a cantar em 1977. Dedicou-se por sete anos ao coco e depois adotou a viola. Mudou-se para Pernambuco em 1984, quando começou a atuar em dupla com Rogério Menezes. Começou a carreira de repentista na zona rural e depois veio para a cidade com a intenção de se profissionalizar. Atualmente João Lourenço reside em Caruaru/PE. É considerado, pelos amantes da cantoria, como um dos melhores poetas cantadores do Nordeste.

Hipólito Moura – Nascido em Picos – PI, atualmente reside em Caruaru – PB. Com 20 anos de carreira, também é veterano em festivais pelo Brasil. È um dos cantadores que mais tem se destacado nos últimos festivais.

 Raulino Silva - Nascido no Rio Grande do Norte, na cidade de Antônio Martis, atualmente reside em Caruaru-PE. Com 17 anos de profissão já participou de centenas de festivais e ganhou exatamente 10 deles. Já gravou em 3 Cds e 1 DVD e agora se aventura no universo da música romântica.

 Raimundo Caetano - Conhecido por transformar a “construção” do seu improviso em obra-prima, esmerando-se no acabamento dos versos, refinando e polindo as estrofes, dando-lhes um toque de classe e beleza de tal forma que teve o seu trabalho comparado ao de um arquiteto, sendo apelidado de ‘Arquiteto do Repente’.

 Gilmar de Oliveira – Natural de São José de Piranhas –PB, atualmente reside em Cajazeiras, onde tem um programa diário na rádio Alto Piranhas. Com 13 anos de carreira, já participou de mais de 200 festivais, com destaque no realizado em Capina Grande recentemente Estado contra Estado.

Miro Pereira – Potiguar nascido em Patu, já tem mais de 30 anos de estrada. Contabiliza em suas andanças mais de 300 participações em festivais. Também é conhecido por promover importantes eventos de cantoria em cidades do Rio Grande do Norte.

Luciano Leonel – Pernambucano de Cachoeirinha, atualmente reside em Vertentes – PE. Com 17 anos de profissão já marcou presença em centenas de festivas e cantorias pelo Brasil, principalmente pelo Nordeste.

Zé Carlos do Pajeú – Natural de Tabira –PE, atualmente também atua como secretário municipal de juventude e meio ambiente da cidade. Com 12 anos de profissão já participou de mais de 100 festivais com destaque na cidade de Teresina, Recife.

Convidadas

Minervina Ferreira (Cuité – PB) – Seu nome de batismo é Minervina da Silva Costa – Ferreira veio da profissão do pai. Dentre as repentistas, Minervina ou Minerva, como alguns a chamam, é das mais experientes. Porém, ainda que seja sobrinha de cantador, enfrentou na família, sérios preconceitos para levar adiante a profissão de cantadora. De família bastante pobre, quando criança, não teve direito a estudar, seu ofício era ajudar o pai e os irmãos a plantarem sisal. Não fosse a persistência, a poetisa acabaria como sua irmã, que segundo ela, é talentosa cordelista, contudo devido à repressão, anteriormente do pai e hoje do marido, não pratica o ofício. Além de repentista, Minervina é professora primária e trabalha na saúde pública em Cuité, onde mora desde que nasceu, desenvolve também trabalho comunitário junto à Igreja Católica. É casada e mãe de seis filhos. Todos os seus filhos sabem rimar, mas nenhum é cantador de profissão. Consciente de seu papel quanto artista, a poetisa procura imprimir em sua obra temas sociais, principalmente a condição da mulher.  Indignada com o modo como os cantadores tratam as repentistas, organizou juntamente com a amiga Maria Soledade, cinco encontros de mulheres repentistas a fim de tornar pública as vozes das violeiras tantas vezes sufocadas.

Maria Soledade (João Pessoa – PB) – Camponesa aposentada, porém ainda ativista do Movimento de Mulheres do Brejo, de Alagoa Grande, Maria Soledade, hoje vivendo em João Pessoa por causa de perseguição política, ganhou do pai, quando criança, um violão. Sua mãe não aprovou a ideia e dizia que cantar seria ‘negócio para homem’. Com a aprovação do pai, não seria tão difícil à entusiasmada menina seguir em frente. Os preconceitos que viriam, por maiores que fossem, não tinham o mesmo peso. Artista engajada, Soledade, além de repentista, escreve poemas. Muitos deles trazem marcas ideológicas que quando publicados lhe rendem alguns problemas com poderosos latifundiários do Nordeste. A vida dessa mulher está inteiramente ligada à arte da cantoria e conhecendo-a não surpreende uma certa afirmação que fez ao marido: “Marido ruim eu encontro em qualquer esquina, mas uma viola boa, se eu perder essa tá difícil de encontrar”.

Serviço:

2º Desafio De Repente no Espaço

Duplas confirmadas: Rogério Meneses (PB) e Zé Viola (PI) | João Lourenço (PB) e Hipólito Moura (PI) | Raulino Silva (RN) e Raimundo Caetano (PB) | Gilmar de Oliveira (PB) e Miro Pereira (RN) | Luciano Leonel (PE) e Zé Carlos do Pajeú ( PE)

Dupla convidada: Minervina e Soledade (PB)

Comissão julgadora: Ivanildo Vila Nova (presidente da comissão), Jonathas Falcão, Edezel Bezerra, José Dantas, Djair Olimpio, Espingarda do Cordel

Hora: 19h

Local: Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural. A entrada é gratuita.

Direção geral: Renata Mora | Coordenação: Iponax Vila Nova

Realização: Governo do Estado/Funesc