Fale Conosco

23 de outubro de 2012

Fundac inicia cursos profissionalizantes para jovens em medida socioeducativa nesta quinta



Começam nesta  quinta-feira (26), nas unidades da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac) de João Pessoa, as aulas inaugurais dos cursos profissionalizantes para jovens em medida socioeducativa. No Centro Educacional do Adolescente (CEA) são oferecidas 60 vagas para o curso de pintor de obras, para internos de 16 a 17 anos, no período da manhã e tarde . Outras 30 vagas  sáo para jovens de 18 a 21 anos, do Centro Educacional do Jovem (CEJ) pela manhã. Na Casa Educativa, unidade feminina, o curso ministrado será o de atendente de lanchonete, no turno da tarde, oferecido para todas as 21 internas. Em todas as Unidades, as aulas acontecem no horário diferente ao da Escola.

Os cursos profissionalizantes para os jovens em medidia socioeducativa é resultado de uma parceria com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e são custeados pelo Ministério da Educação (MEC). O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPB) também é responsável pela realização desses cursos. Até o final do ano, será realizado o curso de Viveicultura no CEA de Sousa. Ao final dos cursos, os egressos serão encaminhados para o mercado de trabalho.

Capacitação dos educadores – Para ministrar os cursos nas unidades socioeducativas do Estado, os educadores do Pronatec participaram do I Encontro sobre Adolescentes em Conflito com a Lei, promovido pela Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente. A capacitação ocorreu nesta terça-feira (23), na Fundação de Educação Tecnológica e Cultural (Funetec), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), que fica na rua das Trincheiras. O objetivo do curso é informar sobre os princípios básicos para um atendimento socioeducativo eficiente.

Para o gerente de Educação Profissional da Fundac-PB, Osman Matos, os cursos profissionalizantes para os jovens em medidas socioeducativas de privação de liberdade e semiliberdade contribuem para o desenvolvimento de competências e habilidades específicas com a finalidade de inserção no mercado de trabalho. Ele informa que esta determinação consta no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), que passou a vigorar em abril no país. “Para tanto, necessário se faz, antes do início das aulas nas unidades do CEA, CEJ e Casa Educativa, apresentar as especificidades de nosso público alvo;  informar, interagir, ouvir, tirar dúvidas,   aproximar os educadores do Pronatec com a realidade social desses adolescentes e jovens”, completou Osman Matos.