Fale Conosco

18 de outubro de 2012

Funcionários do Lacen participam de oficina sobre Biossegurança



Funcionários do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-PB), da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participaram nesta quinta-feira (18), no auditório da Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, da “Oficina de Apresentação do Manual de Biossegurança – Parte II”.

“Estas oficinas servem para revisar e atualizar os documentos do Sistema da Qualidade, usados no Laboratório, e coordenado pelo Núcleo do Controle de Qualidade. A ideia é padronizar todos os procedimentos, garantindo a qualidade dos serviços prestados à população nos exames de média e alta complexidades”, explicou a bioquímica e chefe do Núcleo do Controle de Qualidade do Lacen, Lúcia Cristina.

A oficina foi ministrada pelo bioquímico do Lacen, Bergson Vasconcelos, que falou sobre classificação de risco; as boas práticas laboratoriais e as chamadas “barreiras de contenção”: equipamentos de proteção individual (EPI), a exemplo de luvas, jalecos, gorros, sapatos e óculos e equipamento de proteção coletiva (EPC), que são cabines de segurança biológica, chuveiro de emergência, lava-olhos, etc.

As oficinas têm a finalidade alertar os servidores sobre a responsabilidade deles na preservação da própria saúde e proteção do meio ambiente. “Aliado a isso, existe a necessidade de atualização do profissional, visto que as metodologias e os processos se modificam continuamente, daí a necessidade destas atualizações”, explica Bergson. A terceira e última parte está prevista para a próxima quarta-feira (24).

Lacen – O Laboratório Central de Saúde Pública Dra. Telma Lobo (Lacen-PB), foi criado em 1978. Localizado no bairro do Cruz das Armas, em João Pessoa. Ele integra a Rede Nacional de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica e o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. É o laboratório de referência para o Estado, desenvolvendo atividades relacionadas às Vigilâncias Epidemiológica, Ambiental e Sanitária.

Entre os exames realizados pelo Lacen, estão os de monitoramento de pacientes soropositivos e cultura para pesquisa do “Bacilo de Koch” e o teste de sensibilidade para o acompanhamento do tratamento da Tuberculose, Hepatites, Meningites, entre outros diagnósticos de doenças transmissíveis e parasitárias. “Com estas oficinas, o Governo do Estado mostra a preocupação em proteger os profissionais, a comunidade e o meio ambiente contra agentes de risco”, falou a diretora geral do Lacen, Marta Rejane Lemos, ressaltando que em 2013, estas oficinas serão realizadas em nível regional, atingindo toda a rede estadual de laboratórios.