João Pessoa
Feed de Notícias

Funad reúne usuários e familiares em celebração que lembra Páscoa

quinta-feira, 8 de abril de 2010 - 18:48 - Fotos: 
Momentos de paz e reflexão marcaram a rotina desta quinta-feira (8) na Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad). A instituição realizou uma celebração ecumênica em homenagem à Páscoa, na sede do órgão, no Bairro dos Estados. A cerimônia reuniu usuários e seus familiares, além de funcionários do local. Religiosos católicos, evangélicos e grupos musicais levaram mensagens de fé e esperança aos presentes.

A celebração ecumênica é apenas uma das muitas ações realizadas pela Funad com o objetivo de promover a sensação de paz e bem-estar entre as pessoas que freqüentam o lugar. Mas a missão maior da fundação é reabilitar e gerar a inclusão social.

 
Usuários – De acordo com a vice-presidente, Gladys Ximenes, a instituição chega a atender mensalmente cerca de 30 mil pessoas. São portadores de deficiências físicas, auditivas, visuais e mentais. Esses usuários vêm de todas as cidades da Paraíba e, alguns, até migram de outros Estados, como Pernambuco.

No centro, eles recebem assistência médica, social, psicológica e participam de atividades que proporcionam a inclusão social e educacional. Os portadores de deficiências ainda são capacitados para ingressar no mercado de trabalho. Um núcleo criado na Funad oferece cursos em várias áreas e, em seguida, encaminha os alunos para serem contratados por empresas. Todo esse acompanhamento é feito por uma equipe multidisciplinar.

“Quando chegam aqui, os usuários são atendidos por psicólogos, assistentes sociais, médicos e fisioterapeutas. Esses profissionais fazem uma avaliação minuciosa e em detalhes da situação do paciente para chegar a um diagnóstico. A partir daí, encaminham o usuário para uma coordenadoria que fará o tratamento adequado”, explica Gladys.

Estrutura – A Funad é composta por 12 coordenadorias. Através delas, os portadores têm acesso às aulas de informática, alfabetização, cursos profissionalizantes, tratamento para reabilitação, atividades artísticas e culturais e recebem ajuda para vencer as limitações e preconceitos. São 409 profissionais de diversas áreas que atuam no local. Entre eles, há oftalmologistas, ortopedistas, clínicos, otorrinolaringologistas, cardiologistas, fisioterapeutas e assistentes sociais.     

A dona casa Rita Rodrigues de Sá é uma das beneficiadas pelos trabalhos. Ela é mãe de uma criança nasceu surda. Há cerca de 15 anos, as duas visitam a instituição quase que diariamente. “Desde que ela tinha um ano e meio de vida que a trago aqui. Graças a Deus, minha filha está cada dia melhor”, comemora Rita.

Na Funad, ela participa de aulas de capoeira, dança, teatro e foi até alfabetizada. Hoje, aos 16 anos, a moça cursa o oitavo ano do ensino fundamental e faz planos de ser juíza. “É difícil, mas ela vai conseguir. Ela é uma menina estudiosa, esforçada e aprendeu muito, aqui, na Funad. Tenho muito que agradecer a essa instituição”, declara a mãe.  

Nathielle Ferreira, com fotos de Ernane Gomes, da Secom-PB