Fale Conosco

19 de dezembro de 2011

Funad ressalta musicoterapia como instrumento de reabilitação



funad musicoterapia foto assessoria 3A Musicoterapia está sendo aplicada com sucesso pela Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad) em 40 usuários, desde o início do ano, em oficina do Núcleo de Vivência em Artes (NVA). O trabalho terapêutico de reabilitação por meio do ritmo, da melodia e da harmonia tem auxiliado no desenvolvimento do potencial cognitivo e na socialização de crianças e adolescentes paraibanos com dificuldades de comunicação e de coordenação motora.

A “Oficina Permanente de Musicoterapia do NVA” utiliza o movimento, o som e a música para abrir canais de comunicação, produzir efeitos terapêuticos e promover a reabilitação. “Essa terapia trabalha o usuário nas áreas sensoriais, motoras e intelectuais, facilitando o autoconhecimento para desenvolver atividades sem medos, frustrações e estresses”, explicou a arte educadora da Funad Teresa Helena Bernardo, especialista em musicoterapia pela Universidade Complutense de Madrid-ES.

O método – A musicoterapia pode ser dividida em duas apresentações: a passiva e a ativa. Na passiva, os participantes escutam sons e melodias previamente selecionadas, de acordo com o objetivo específico da sessão. Esta apresentação é muito utilizada para o relaxamento e o alívio da dor, especialmente quando a participação ativa do participante é inviável, como em casos de acidente vascular cerebral e deficiência física.

Já a ativa se utiliza de instrumentos musicais e movimentos corporais, fazendo com que o usuário produza sons e melodias. As sessões são divididas em 45 minutos, uma para produzir os sons e outra para comentários sobre conteúdos emergentes em virtude da produção musical, não sendo necessário o conhecimento de teoria musical por parte dos usuários.

Na Funad – Segundo a presidente da Funad, Simone Jordão Almeida, a oficina reabilitadora estava desativada na instituição desde 2002. “Reativamos esse e outros serviços do NVA porque acreditamos na importância da arte como instrumento para a reabilitação e a inserção social”, disse. De acordo com ela, os 40 usuários (com idades entre 8 e 26 anos) atendidos com musicoterapia na Funad residem em diferentes municípios paraibanos, como João Pessoa, Caaporã, Mamanguape, Pilar, Itapororoca, Rio Tinto, Lucena e Cabedelo.

As aulas de musicoterapia do NVA acontecem de segunda a quinta-feira, pela manhã, e nas sextas-feiras à tarde, com duração de 45 minutos. As sessões podem ser individuais ou em grupo. Para obter mais informações sobre o serviço, basta ligar para o NVA/Funad: 3214-7879, ramal 211.