Fale Conosco

2 de dezembro de 2013

Funad realiza em dezembro a Mostra de Arte Inclusiva



A Funad realiza nos dias 4 e 5 de dezembro, a 2ª Mostra de Arte Inclusiva do Estado da Paraíba, que reunirá artistas da própria Funad e de outras instituições que atuam na assistência a pessoas com deficiência.

Neste ano, a Funad convidou grupos de pessoas idosas e crianças em situação de vulnerabilidade, ampliando o leque de inclusão social do evento. A ideia é mostrar a capacidade da arte na reabilitação e inclusão social das pessoas com deficiência.

Durante dois dias, pela manhã e à tarde, a mostra ocupará o pátio e o auditório da instituição. A abertura será feita pela presidente Simone Jordão, às 8h30, da quarta-feira (4). O evento é organizado pelo Núcleo de Vivência e Artes da Funad.

Haverá apresentações de teatro, dança, música e outras expressões de arte. “Neste ano a mostra terá na sua programação variadas manifestações culturais produzidas na Paraíba, democratizando o acesso à arte, contribuindo para reforçar na sociedade uma sensibilidade para as questões ligadas ao desenvolvimento humano, no âmbito da cultura. Esperamos também potencializar futuras reflexões nos diversos aspectos da identidade cultural do nosso Estado”, disse Regina Rangel, coordenadora do núcleo.

Entre os grupos que irão se apresentar na Mostra de Arte Inclusiva, estão equipes de dança artística em cadeira de rodas, de teatro e musicoterapia da Funad, xaxado do Sesc, balé José Enoch e grupos da Funesc, além da Casa Pequeno Davi.

Segundo Simone Jordão, a arte é um valioso agente de inclusão social. “Por ela, muitas pessoas com deficiência conseguem expressar seus sentimentos, exteriorizar suas emoções, além de colocar em prática a sua criatividade. Nessa segunda versão, convidamos entidades, não apenas de e para pessoas com deficiência, mas tornamos o evento mais abrangente, com pessoas idosas e crianças que enfrentam dificuldade de inclusão. O Governo do Estado quer unir forças e mostrar à sociedade que temos valores em diversas instituições e cidades, e que a luta pela inclusão deve ser ampliada”, afirma Simone Jordão.

A Funad atende mensalmente quase 4 mil usuários com todos os tipos de deficiência em nove coordenadorias, nas áreas física, mental, visual, auditiva e múltipla, além de transtornos globais de desenvolvimento, altas habilidades e superdotação. Os usuários passam por atendimento em reabilitação e apoio pedagógico, através da arte, esporte ou da preparação para o mercado de trabalho. Desse modo, os usuários acessam os diversos serviços e têm a oportunidade de fechar o ciclo para sua autonomia, inserção social e desenvolvimento da cidadania.