Fale Conosco

6 de fevereiro de 2012

Documentário encerra comemorações alusivas ao Dia da Visibilidade Trans



As comemorações alusivas ao Dia da Visibilidade Trans promovidas pela Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh) terminam nesta terça-feira (7), a partir das 9h30, durante solenidade na Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad),em João Pessoa. Naoportunidade, haverá a exibição do documentário “O Diário de Márcia”, de Bertrand Lira, e um debate sobre “A transexualidade e o serviço público: o uso do nome social”.

A iniciativa, que marca a luta por direitos e cidadania de travestis e transexuais, deve reunir servidores e usuários da Fundação, bem como seus acompanhantes, além de representantes das secretarias, de entidades estaduais e municipais, e também travestis, transexuais, representantes do movimento LGBT e usuários do Centro de Referência dos Direitos de LGBT e Combate à Homofobia da Paraíba (Espaço LGBT). As comemorações tiveram início no último dia 31 de janeiro, com a realização de atividades culturais e educativas na capital paraibana.

O documentário “O Diário de Márcia”, de Bertrand Lira, retrata a trajetória da pedagoga Márcia Gadelha, que atua na Funad e também na Câmara Municipal de João Pessoa, como cerimonialista. A produção chama a atenção pelo detalhe de que Márcia é transexual. “A história de vida de Márcia é muito forte, tanto na perspectiva de busca pela inclusão social quanto de respeito à diversidade humana”, explicou a presidente da Funad, Simone Jordão Almeida. Ela lembrou que a Fundação também faz parte desse contexto porque luta contra a discriminação, além de trabalhar pela inclusão social de pessoas com deficiência.

Após a exibição, haverá um debate mediado pela protagonista do documentário, com a participação de um representante da Semdh e a presidente da Funad. O debate abordará a questão do preconceito e da discriminação que travestis e transexuais sofrem no ambiente de trabalho e os desafios da gestão pública de garantir o direito ao nome social como uma etapa importante das mudanças rumo à garantia de direitos e cidadania LGBT.

Visibilidade – O Dia da Visibilidade Trans surgiu em 2004 por ocasião da Campanha Nacional “Travesti e Respeito – já está na hora dos dois serem vistos juntos”, do Ministério da Saúde (MS). Em 29 de janeiro daquele ano, representantes da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) lançaram a campanha no Congresso Nacional,em Brasília. Desde então, essa data foi adotada para travestis e transexuais saírem às ruas e mostrarem suas caras, em todo o Brasil, reivindicando seus direitos. Acompanhando a tendência da promoção da visibilidade e do avanço da luta de lésbicas, gays e bissexuais na sociedade, travestis e transexuais se organizam para conquistar espaço, cidadania e respeito.

Programação

9h30 – Boas Vindas – Simone Jordão, presidenta da Funad

9h40 – Exibição do documentário “O Diário de Márcia”, de Bertrand Lira

10h – Mesa “A transexualidade e o serviço público: uso do nome social”:

* Márcia Gadelha – Protagonista do documentário e servidora da Funad;

* Simone Jordão – Presidenta da Funad;

* Roberta Schultz – Gerente Executiva de Direitos Sexuais e LGBT, da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh).

10h30 – Debate

11h – Encerramento.

 

A Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad) está localizada na rua Orestes Lisboa, s/n, Conjunto Pedro Gondim,em João Pessoa.