Fale Conosco

17 de agosto de 2012

Fórum Interpoderes define ações de enfrentamento à violência contra mulher



 A realização do I Fórum Interpoderes sobre violência contra a mulher, que aconteceu entre os dias 14 e 15 deste mês, resultou em várias propostas para o enfrentamento à violência no Estado. Fortalecer as Delegacias Especializadas no Atendimento às Mulheres em situação de violência doméstica e familiar, além da capacitação de policiais civis e militares, bem como a realização de concursos públicos foram uns dos encaminhamentos deliberados.

O  evento, que reuniu representantes governamentais da Rede de Atendimento às mulheres e sociedades civil marcou a programação alusiva aos seis anos de vigência da Lei N. 11.340/06 – Lei Maria da Penha. Durante toda a programação foram discutidas temáticas sobre o feminismo, segurança pública e direitos humanos.

“Também tivemos como deliberação do Fórum a solicitação para celeridade nos laudos periciais de lesão corporal das mulheres agredidas e a inserção de conteúdos sobre direitos humanos e violência de gênero nos cursos de formação das polícias civis, militares e bombeiros”, disse a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Iraê Lucena.

A secretária frisou ainda que o Governo do Estado vem desenvolvendo ações em parceria com outras secretarias para qualificar e aumentar a rede de atendimento às mulheres. “Também estamos agregando parceiros como os Centros de Referências da Assistência Social (Creas) dos municípios que ainda não dispõem de serviços especializados às mulheres, sensibilizando para o atendimento e fortalecimento do trabalho de mudança de mentalidade da população”, comentou.

Segundo a promotora de justiça Roseane Maria Araújo, tratar da violência contra as mulheres é um desafio para todas as entidades e poderes públicos, e principalmente para toda a população. “A luta é para sensibilizar os homens. Não queremos ser mais, nem menos. Apenas iguais. As leis que garantem proteção às mulheres são patrimônios da justiça e devem ser respeitadas e efetivadas para a integridade da vida da mulher”, disse a promotora.

O evento foi promovido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, em parceria com o Tribunal de Justiça da Paraíba, Assembleia Legislativa e Ministério Público.