Fale Conosco

17 de abril de 2013

Fórum discute implantação da Rede Cegonha em Patos



A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da 6ª Gerência Regional de Saúde em Patos, Ministério da Saúde e entidades, realizou nessa terça-feira (16) o 1º Fórum Regional Perinatal da Rede Cegonha, no auditório de Odontologia da Faculdade Integrada de Patos (FIP).

A Rede Cegonha, que vai investir mais de R$ 9 milhões na região de Patos para melhorar a assistência, tem como foco principal às redes de atenção à saúde e sua implantação na 6ª Regional de Saúde. Na ocasião, os municípios envolvidos puderam mostrar suas dificuldades e potencialidades na atenção da saúde perinatal.

Todo processo de atenção à mulher em relação ao pré-natal, parto e pós-parto também está sendo revisto em uma discussão que procura aproveitar a estrutura e apoio oferecidos para que seja possível a queda dos índices de mortalidade neo e materno. Além disso, a sociedade poderá desfrutar de melhores serviços em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para o gerente Regional de Saúde, José Leudo, o Fórum discutiu antigas questões que precisam ser corrigidas a partir do debate. “Com cada setor apresentando suas carências e necessidades, será possível exibir um quadro da realidade regional a essa política que vem sendo construída pelas redes na melhoria da saúde pública”, destacou.

O diretor técnico da Maternidade Dr. Peregrino Filho em Patos, Paulo Athayde, fez considerações dos avanços ocorridos na saúde da mulher, mas alertou para a necessidade que todos cumpram suas funções nessa assistência. “É preciso que haja maior atenção, a partir do pré-natal mais humanizado e acessível, oferecendo às mulheres todos os exames necessários que garantam um parto ideal”, disse.

Para a representante do Ministério da Saúde, Rejane Lúcio Vieira, a proposta do encontro vai facilitar a vida das mulheres contribuindo para a maior qualidade dos serviços do SUS, desde a atenção básica até os serviços de urgência e emergência. “Um dos objetivos do Fórum é conhecer a realidade da região e quem pode apresentar isso são os municípios. O Ministério da Saúde oferece o apoio para que aconteça a interligação de todas as redes, a exemplo da Rede Cegonha, psicossocial, de emergência, do câncer, das doenças crônicas, da pessoa com deficiência, que fortalecem a atenção integral”, diz Rejane.

No encontro também foram discutidos a realização de parto normal ou cesáreo; o direito e a capacidade do acompanhante em sala de parto; a vinculação da gestante para a maternidade em seu município e a exposição de estatísticas dos atendimentos hospitalares da Maternidade Peregrino Filho, desde o início da gestão pelo Instituto Social Fibra, que vão servir de subsídios aos participantes no ato de elaboração das propostas a serem pactuadas na rede.

 Participaram do evento, representantes dos 24 municípios da região de Patos, Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e entidades como a Pastoral da Criança, igrejas, conselhos da criança, Maternidade Dr. Peregrino Filho em Patos, além dos apoiadores da regional de saúde.