João Pessoa
Feed de Notícias

Folia de Rua começa nesta sexta-feira, no Ponto de Cem Réis

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 - 12:20 - Fotos: 

O Folia de Rua, tradicional prévia carnavalesca de João Pessoa, terá início nesta sexta-feira (25), a partir das 18h, no Ponto de Cem Réis, e só encerra as atividades no dia 5 de março. Até lá, o folião terá a chance de eleger seus preferidos entre os 32 blocos filiados e as 60 agremiações convidadas. A expectativa dos organizadores para a abertura do Folia de Rua é de um público de 70 mil foliões na primeira noite e mais de 1 milhão de pessoas durante os nove dias de festa.

Para a abertura do evento, foram montados dois palcos, sendo um no Ponto de Cem Réis e outro no Parque Solon de Lucena, ao lado do Cassino da Lagoa. Logo no primeiro dia, desfilam os blocos Anjo Azul, que sai do beco da Faculdade de Direito; Pingüim, que parte do Pavilhão do Chá; Confete e Serpentina, que se concentra na praça Dom Ulrico; Picolé de Manga, que sai da Avenida João Machado, e o Bloco da Cueca, do Ponto de Cem Réis.

No palco que fica ao lado do Cassino da Lagoa, devem prevalecer ritmos alternativos como o hip hop, rock e música eletrônica, além das músicas tradicionais cantadas por artistas locais e pelo maestro Duda, de Pernambuco, principal atração da noite.

A primeira atração da festa será o DJ francês Rémy Kolpa Kopoul e, em seguida, o público vai ouvir a Orquestra PB Pop. Ainda estão na programação os shows de Alex Madureira, Escurinho, Kaká Santa Cruz, Totonho e Sacal.

Ainda na festa de abertura, será feita uma homenagem a Genival Macêdo, importante compositor paraibano, com a participação de Diana Miranda, Renata Arruda, Lis Albuquerque, Fuba, Jairo Madruga, Gracinha Telles, Regina Brown, Kennedy Costa, Anaí Claro, Eudinho Arruda, Patrícia Moreira e Walter Luiz.

Grande atração – O principal show da noite será o do Maestro Duda, de Pernambuco, que começa à meia noite. O Maestro Duda é um dos maiores nomes do frevo, com uma carreira de 65 anos de composições. O músico compôs choros gravados por Severino Araújo e Oscar Miliani, sambas gravados por Jamelão, músicas para Quinteto de Sopros e Quinteto de Metais.