João Pessoa
Feed de Notícias

Festival de Cultura Popular de Monteiro vai homenagear Ilmar Cavalcante

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011 - 12:35 - Fotos: 
A cidade de Monteiro, distante 319 km da Capital, vai realizar de 23 a 27 deste mês, o 2º Festival de Cultura Popular Zabé da Loca, que este ano homenageará o compositor Ilmar Cavalcante. O Governo do Estado apóia o evento, através da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur).

Durante os cinco dias, o festival promoverá oficinas de literatura e cordel, palestras, mostra de teatro, de dança e de cinema, e lançará livros. Estão previstas também apresentações de teatro de rua, shows, gincanas culturais e festival de violeiros.

Ceguinhas de Campina - O secretário de Cultura e Turismo de Monteiro, Edcarlos Farias, informa que estão confirmadas as participações das “Ceguinhas de Campina”, protagonistas do filme “A pessoa é para o que nasce”. As três deficientes visuais, antes da consagração popular, passaram grande parte de suas vidas juntas, cantando e tocando ganzá em troca de esmolas nas cidades e feiras do Nordeste do Brasil.

Edcarlos Farias explica que o Festival de Cultura Popular Zabé da Loca é um evento que divulga a cidade de Monteiro e o Cariri paraibano no cenário cultural brasileiro. “No ano passado, o evento contou com as presenças de nomes consagrados como Flávio José, Dejinha de Monteiro, Novinho da Paraíba, Luciene Melo e Chico César. Este ano o festival deverá contar também com grandes atrações que estarão homenageando Ilmar Cavalcante”, diz o secretário.

Cordel nas escolas

A cidade de Monteiro é conhecida por sua riqueza cultural, berço de grandes nomes da poesia, da literatura e da música. A secretária de Educação do município, Ana Lima Feliciano, disse que está sendo elaborado um projeto pedagógico para que a literatura de cordel seja trabalhada no currículo escolar, para dar aos alunos a oportunidade de conhecer e preservar os valores culturais da região.

A secretária informou que acontecerá entre os dias 21 a 25 deste mês uma oficina de literatura de cordel, ministrada por Abdias Campos, numa parceria entre a Funarte e a Prefeitura de Municipal. Esta será a primeira atividade para implementação do projeto pedagógico.

A oficina terá 30 horas de trabalho e dela deverão participar professores, poetas e agentes culturais. Os trabalhos realizados durante a oficina serão expostos no Festival de Violeiros que acontecerá na noite do dia 25 de fevereiro com a presença de grandes nomes da poesia popular nordestina.

Pré-programação do Festival de Cultura Popular:

23 de Fevereiro (Quarta-feira)

09h – Abertura Oficial (Pátio da Prefeitura Municipal)
09h30 – Apresentação da Fanfarra / Grupos Culturais e Teatro de Rua (Pátio da Prefeitura Municipal)
10h – Abertura de Exposição de Artesanato do Cariri Paraibano (Museu Histórico)
19h30 – Mostra de Teatro (Teatro Jansen Filho), com Espetáculo Teatral Grupo UEPB Monteiro: As Plêiades da Matemática; Espetáculo de Dança Clássica – Grupo UEPB Campus Campina Grande e Espetáculo Teatral: Machos (Direção Saulo Queiroz) – Grupo do Campus UEPB.

Dia 24 Fevereiro (Quinta-feira)

14h – Palestra “Cultura na Educação”, Ministrada pelo professor Antonio Rafael de Menezes (Teatro Jansen Filho)
19h30 – Apresentação cultural / Mostra de Cinema / Exibição de vídeo em homenagem a Ilmar Cavalcante

Dia 25 Fevereiro (Sexta-feira)

09h – Reunião do Fórum de Cultura e Turismo do Cariri Paraibano (Teatro Jansen Filho)
10h – Palestra Programa Mais Cultura e Sistema Nacional e Municipal de Cultura: Representante do Ministério da Cultura (Teatro Jansen Filho)
20h – Lançamento do Cordel Pinto do Monteiro: Autor Manoel Monteiro (Centro Cultural) e Festival de Violeiros – Noite dos Campeões – Pinto do Monteiro (Centro Cultural)

Dia 26 Fevereiro (Sábado)

08h – Cultura na Feira: Apresentações culturais: Banda de Pífanos Mirim Curumins da Serra / Coco de Roda Quitéria Noberto/ Banda de Pífanos Alto São Vicente / Bereta do Cavaquinho/ João de Amélia (Mercado Público)
16h – Lançamento do livro “Ciço de Luzia” de Efigênio Moura e Apresentação Cultural de Niedson Nill (Casa Progresso)
20h30 – Homenagem a Ilmar Cavalcante (Praça João Pessoa)
20h45 – Apresentação Cultural de Zabé da Loca
21h – Apresentação Banda Filarmônica
22h – Shows Musicais

Dia 27 Fevereiro (Domingo)

07h Gincana Cultural (Maratona Caracterizada)

Programação de Oficinas

23 de fevereiro

08h00: Abertura
Oficina de Vídeo: Ministrada por Asley Ravel (Escola Municipal Maria do Socorro Aragão)
Oficina de Pífano: Ministrada por Josivane Caiano e Pitó (PETI)
Oficina de Coco de Roda: Ministrada por Ivan do Coco (PETI)
Oficina de Literatura de Cordel: Ministrada por Manoel Monteiro (Secretaria de Educação)

Sobre o homenageado

O compositor paraibano Ilmar Cavalcante nasceu no dia 19 de outubro de 1970, em João Pessoa, mas sempre morou em Monteiro. Ele é filho de Inácio Vieira da Silva (in memorian) e Lindalva Cavalcante da Silva.

O homenageado teve a infância dividida entre os estudos, as peladas de futebol e as férias no sítio Angico, dos avôs maternos. A admiração de seu pai pela música regional, em especial pelo forró do Trio Nordestino, clareou-lhe a inspiração e fez surgir os primeiros versos em forma de canção. Com o passar do tempo, entre os 19 e os 20 anos de idade, já com alguns trabalhos desenvolvidos, Ilmar se sentia feliz tocando violão e mostrando as primeiras composições a amigos mais próximos.

Vencendo a timidez, apresentou suas canções a alguns artistas, em especial a Flávio José e a Dejinha de Monteiro, que gravou sua primeira música intitulada "Me deixa entrar no seu mundo", de 1993.

Primeiros sucessos

Depois dessa primeira vitória, a inspiração e a dedicação se redobraram. Em 1994, Ilmar teve a música “Poucas Palavras” interpretada pela cantora Eliane. Coube a Flávio José apresentar Ilmar a Eliane. A partir de então, as portas se abriram para o jovem compositor.

Ainda em 1994, Ilmar conhece o cantor e compositor Nanado Alves e dessa parceria nasceram grandes sucessos consagrados pelo povo. Na ocasião, a Banda Magníficos, em início de carreira, gravou cinco músicas da dupla, entre elas "Xote de encomenda", "Charme especial" e "Todo dia te querer".

No ano seguinte, Flávio José grava duas músicas que se tornariam sucessos ("Um passarinho" e "O bom do amor"). Por seu lado, a Banda Magníficos lança seu segundo trabalho com mais três músicas da dupla: "Tenda", "Alguém" e "Viver uma paixão". Começa então o reconhecimento em território nacional.

Novos intérpretes

Em 1996, o cantor Gláucio Costa grava o xote "Cheiro de nós", uma música cheia de poesia em que a letra faz homenagem ao poeta José Marcolino. A partir de 1997, Ilmar tem suas músicas executadas pelas rádios de todo o país, a exemplo de “Saudade que mata", com Genaro, e "Diálogo", com Flávio José.

No 1º MPB Cariri, um festival de música regional realizado em Monteiro em 1998, Ilmar é o grande vencedor com a música "Quando escuto seu Luiz". Essa canção foi gravada por Flávio José no CD “Pra todo mundo”, com o nome de "Sangue nordestino". Nesse mesmo disco, encontramos o baião "Só falta você voltar".

Com o surgimento de novas bandas de forró, a Magníficos grava em 1999 a música "Muito pra te dar" (parceria com Nanado Alves e Jorge Andrade). Já em 2000, o cantor Flávio José entra na gravadora BMG e lança um novo CD, que tem como carro-chefe "Seu olhar não mente" e o xote "A vida é você" (Ilmar Cavalcante/Nanado Alves). Dois grandes sucessos lembrados pelo público.

No ano seguinte, a música "Amor pra mais de mil" foi gravada por mais de 30 artistas, inclusive o cantor Novinho da Paraíba e as bandas Mastruz com Leite e Raízes do Forró. Com essa canção vários desses artistas se apresentam em programas de TV (Xuxa Parque, Super Pop e A Casa é Sua, entre outros). No mesmo ano, o cantor Adelmário Coelho grava “Chega de saudade", que foi carro-chefe do CD e teve grande aceitação popular.

Coletâneas – Em 2002, a gravadora BMG lança duas coletâneas de Ilmar Cavalcante: “As Melhores do ano” e “4 em 1”. A música "Seu olhar não mente" (Ilmar/Nanado) fizeram parte desses dois discos, que tiveram a participação de grandes nomes da música popular brasileira, como Fábio Jr., Leonardo, Daniela Mercury entre outros.

O baiano Adelmário Coelho gravou, em 2004, "Farejador de forró", um autêntico pé-de-serra feito por encomenda. Nessa música, a parceria foi com o seu compadre João Batista.

Em 2005, a Banda Magníficos, o cantor Novinho da Paraíba e Santanna gravaram em DVD sucessos de Ilmar Cavalcante. Dois anos depois o compositor ficou em 2º lugar no Forrofest, com o baião "Meu Lugar é meu Nordeste", interpretado por Osmando Silva.

Depois de mais de 300 músicas gravadas, e muitas outras inéditas, o compositor monteirense lança o CD "Ilmar Cavalcante, meus amigos, meu Forró". Nesse trabalho grandes artistas da música regional interpretam o poeta-compositor abrilhantando cada vez mais seu belíssimo trabalho.

No ano passado, Ilmar lança seu segundo trabalho, contando mais uma vez com a participação especial de seus amigos e admiradores. O trabalho surge naturalmente de uma aclamação dos admiradores da boa música nordestina, autêntica e de boa qualidade. Contando nesse trabalho com novas participações a exemplo de Jorge de Altinho, Cezinha, Flávio Leandro, Geraldinho Lins e outros.

Agradecido pelo sucesso alcançado, o poeta compõe cotidianamente. Em casa ou no trabalho, Ilmar sempre encontra tempo para ler, buscar inspiração, ouvir e aprender com os grandes mestres da música e poesia, como Luiz Gonzaga, o cantor Lindú (Trio Nordestino), Dominguinhos, Guilherme Arantes, Chico Buarque e Jansen Filho, entre outros.