João Pessoa
Feed de Notícias

Fenart é aberto e terá mais de 160 atrações até o dia 29

segunda-feira, 24 de maio de 2010 - 11:18 - Fotos: 

O governador José Maranhão participou da abertura da XIII edição do Festival Nacional de Arte (Fenart), às 19h , deste domingo (23), no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, em João Pessoa. Durante assete dias consecutivos mais de 160 atrações, de várias partes do país, serão apresentadas no evento, ocupando cerca de 10 equipamentos culturais em 53 mil metros quadrados de área coberta.

O Fenart tem como homenageado o cantor e compositor paraibano Sivuca- Severino Dias de Oliveira, nascido em Itabaiana (PB). O músico completaria 80 anos este mês. Após a abertura oficial apresentaram-se no palco da Praça do Povo do Espaço Cultural a Orquestra Sinfônica da Paraíba e Hermeto Pascoal . O XIII Fenart termina no dia 29.

Em seu discurso, Maranhão saudou os participantes e revelou que é uma honra e alegria da sua gestão realizar o Fenart, sobretudo porque o Festival é uma manifestação da cultura e da inteligência. Ele ressaltou que desde o seu governo anterior que a Fenart foi uma prioridade e lamentou que por dois anos a realização do evento tenha sofrido descontinuidade. “Depois de dois anos tivemos o papel de restaurar o calendário de realização da grande festa da cultura e arte traduzida pelo Fenart” , comemorou.

Memorial Sivuca - “ Quero assumir um compromisso de honra de continuar com esse calendário. E ainda gostaria de dizer que a construção do Memorial Sivuca também está dentro da prioridades de realização desse Governo”, afirmou

Maranhão acrescentou que vai unir esforço para que seja executada o projeto do Memorial Sivuca . Ele reiterou sua grande preocupação de não somente fazer as obras, mas de conclui-lá. “Tivemos uma experiência muita amarga ao assistir ,durante seis anos, a paralisação de 45 hospitais, do projeto de irrigação das várzeas de Sousa, além de obras como o Centro de Convenções nunca sair do papel. Por isso, não é apenas o empenho de executar uma obra mas, sobretudo o empenho de garantir a obra a sua comunidade. Isto porque a descontinuidade representa um desperdício grande dos recursos públicos”.

“Então, tenha certeza que iremos nos empenhar de corpo e alma, para realizar o Memorial Sivuca, sobretudo contando com a valioso apoio do Ministro da Cultura. O memorial traduz acima de tudo o reconhecimento ao grande gênio da música – que levou o nome da Paraíba e do Brasil para além das fronteiras – mas, é também resultado da sensibilidade do atual ministro de permitir que se faça justa homenagem aos valores de cada região”.

Agradecimento especial - O governador fez um agradecimento especial ao ministro da Cultura, Juca Ferreira (que esteve representado pela secretária de Articulação Institucional do Ministério da Cultura e coordenadora executiva do Programa Mais Cultura, Silvana Meireles) por ter implantado no seu Ministério a democratização da cultura.

A secretária de Articulação Institucional do Ministério da Cultura e coordenadora executiva do Programa Mais Cultura, Silvana Meireles, destacou a sensibilidade com que o governador Maranhão tem tratado a cultura. Ela parabenizou o Governo pelos esforços em realizar o Fenart que, segundo afirmou, se constitui um dos eventos mais importantes do calendário cultural.

Silvana Meireles disse que o Ministério, em parceria com o Governo do Estado, está também empenhado na realização da criação e instalação do Memorial Sivuca, “assim como estamos fazendo com ícones brasileiros, a exemplo de Luiz Gonzaga entre outros que são grande patrimônio da cultura brasileira”.

O presidente do Espaço Cultural, Maurício Burity, agradeceu ao governador José Maranhão o apoio e empenho para a realização do Fenart e destacou que em sua 13ª edição, um evento desta magnitude prestará uma bela e justa homenagem a um dos maiores artistas nascidos na Paraíba: o querido Sivuca, que faria 80 anos na próxima quarta-feira, 26 de maio. A data será lembrada ao longo dos sete dias de festival, em especial, na abertura, que aconteceu neste domingo.

Maurício Burity ressaltou que três anos e meio após a morte de Sivuca, Hermeto se une à Orquestra Sinfônica da Paraíba para prestar um justo tributo ao maestro, arranjador e compositor, nascido em Itabaiana. O concerto foi realizado às 20h30 na Praça do Povo do Espaço Cultural, com entrada gratuita ao público

Ainda em seu discurso, Maurício Burity lembrou que recebeu o Espaço Cultural, totalmente desativado.

“Enfrentamos os desafios, mas graças a Deus estamos conseguindo vencê-lo e neste ano de gestão frente a administração da Funesc, gostaríamos de agradecer ao governador José Targino Maranhão pelo grande apoio que tem dado, não medindo esforços sobretudo para a concretização de eventos como este”, ressaltou

Glorinha Gadelha – Muito emocionada a compositora Glorinha Gadelha agradeceu ao governador Maranhão pelo empenho na luta para se construir o Memorial Sivuca e, em especial, aos que fazem o Fenart pela homenagem a seu companheiro Sivuca.

Um outro momento de grande emoção para Glorinha Gadelha foi o apresentação de Hermeto Pascoal , velho conhecido de Sivuca, que voltou a João Pessoa para homenagear o parceiro paraibano. “Sivuca dizia que Hermeto era o Beethoven do século 20”, recorda Glória Gadelha, esposa de Sivuca por 32 anos. “Juntos, os dois fizeram belas canções e se apresentaram em shows”, completa.

ABERTURA SOLENE

 
Antes do concerto principal, uma solenidade no prestigiado Teatro Paulo Pontes, no próprio Espaço Cultural, deu início à edição 2010 do Fenart. O evento contou com o governador José Targino Maranhão, a secretária de Articulação Institucional do Ministério da Cultura e coordenadora executiva do Programa Mais Cultura, Silvana Meireles) , os Secretários de Educação, Sales Gaudêncio e de Cultura, David Fernandes, do presidente da Funesc, Maurício Burity, membros do primeiro escalão do governo, parlamentares, produtores e agentes culturais, jornalistas, blogueiros e formadores de opinião.

No palco do Paulo Pontes, a cantora lírica e vice-presidente da Funesc, Ana Gouveia, fez as honras da casa, cantando o Hino Nacional Brasileiro.

Em seguida, o maestro Marcos Arakaki regeu um número musical baseado nas “As Quatro Estações”, de Vivaldi. Nela, uma orquestra de câmara formada por músicos da Sinfônica Paraibana acompanhou bailarinos da Escola de Dança da Funesc, um recital com o trovador Oliveira de Panelas e o solista da noite Rucker Bezerra, violinista da OSPB.

 

Ana Lustosa, com fotos de Evandro Pereira, da Secom- PB, e Anderson Silva e Guto Zafalan