Fale Conosco

22 de abril de 2012

Fapesq celebra convênios com ANA para pesquisas nas áreas de recursos hídricos e naturais



O Governo da Paraíba está fechando um convênio com a Agência Nacional das Águas (ANA), por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq), que vai financiar projetos de pesquisa nas áreas de recursos hídricos e naturais. Serão investidos recursos superiores a R$ 1,7 milhão.

Em reunião realizada recentemente na sede da Fapesq, em Campina Grande, se discutiu a proposta de um edital conjunto entre a Fapesq e a ANA, que está em fase de elaboração, e vai contemplar várias áreas voltadas para os recursos hídricos. A Fapesq está preparando a proposta do edital para apresentar à ANA, que levará ao Comitê Gestor para analisar e concretizar a demanda. A intenção é beneficiar mais de 10 projetos de pesquisa, de acordo com o total de recursos liberados.

Convênio – Entre os projetos que participarão do primeiro convênio com a ANA, os pesquisadores planejam fazer um diagnóstico e formular um modelo de conservação e de melhoria da qualidade de águas de cisternas e de outras fontes alternativas de abastecimento. Em outra pesquisa do convênio, será estudado o aproveitamento econômico que o concentrado do processo de dessalinização oferece (via osmose inversa). Uma outra atividade inserida no convênio será o estudo da remoção de nutrientes de esgoto, visando seu reuso na indústria.

Com o incentivo da Agência Nacional das Águas e do Governo do Estado vai ser possível os pesquisadores avaliarem a viabilidade do uso de água residuária e composto orgânico no cultivo de oleaginosas, tais como algodão colorido, girassol e mamona, a partir de uma visão socioambiental.

Um projeto que também fará parte do convênio será a criação de uma Unidade de Produção de Essências Florestais do Bioma Caatinga: uma contribuição para a conservação dos recursos naturais. Tal projeto prevê a implantação de um viveiro florestal, destinado a produção de essências florestais nativas irrigadas com águas residuárias. Os pesquisadores pretendem estudar o efeito da aplicação de água residuária sobre o desenvolvimento de mudas de angico preto, aroeira e cumaru, espécies nativas do bioma Caatinga, irrigadas com água residuária tratada; gerar subsídios para criação de arranjos produtivos locais como alternativa para geração de renda entre os agricultores familiares, e a formação de um núcleo de diversidade genética para uso na implantação e desenvolvimento de sistemas florestais diversificados.

Compareceram à reunião os assessores da Gerência de Uso Sustentável de Água e Solo da ANA, Carla Veiga da Silva, Claudio Ritti Itaborahy e Herbert Cardoso, e os pesquisadores da Universidade Federal de Campina Grande, Kepler Borges França, Eduardo Jorge Lira Bonates, Geraldo Baracuhy, Adrianus Van Haandels e Vera Lucia Antunes de Lima. O grupo foi recebido pelo presidente da Fapesq, Claudio Furtado e a coordenadora de Administração e Finanças, Josilene Avelino Guimarães.