João Pessoa
Feed de Notícias

Exposições podem ser vistas na galeria até 31 de janeiro

terça-feira, 21 de dezembro de 2010 - 11:22 - Fotos: 
A galeria de artes Archidy Picado, localizada no submezanino 1 do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, abre nesta terça-feira (21/12) suas últimas exposições de 2010. Trata-se de duas individuais simultâneas: uma de Manoel Fernandes e outra de Cristina Carvalho. A vernissage está marcada para às 19h e as exposições ficam em cartaz de 22 de dezembro até 31 de janeiro 2011.
Onde, com os trabalhos de Manoel Fernandes, e Recuerdos, assinada por Cristina Carvalho, encerram o primeiro ano do edital de ocupação da galeria Archidy Picado, implantado este ano pelo coordenador de artes visuais da Funesc, Sidney Azevedo, junto a gestão de Maurício Burity. 
“As exposições realizadas na Galeria Archidy Picado, este ano, foram todas selecionadas criteriosamente, considerando-se a força poética de cada proposta, sua pertinência conceitual e potência estética, favorecendo o desenvolvimento de um olhar sensível, atento e inteligente no âmbito da arte atual, e sua complexidade semântica”, conceitua Sidney. 
Foram sete exposições entre os meses de maio até dezembro, contemplando um total de 27 artistas de dentro e fora da Paraíba. 
“Nesta perspectiva podemos afirmar que a galeria de arte do Espaço Cultural se insere hoje no circuito da produção de arte contemporânea, e vem contribuindo com o pensamento crítico, elaborado e o primor estético em cada processo de criação apresentado na forma das várias propostas expositivas, fomentando a visitação à galeria e ao acesso às obras e aos artistas que as produziram”, comenta o coordenador de artes visuais. 
“Isso faz toda a diferença, pois o público sai recompensado e munido de maior e melhor capacidade de discutir e compreender a riqueza poética impregnada no objeto artístico”.
Graças ao Edital de Ocupação, comemora Sidney, a visitação à Archidy Picado “deu um salto, tanto quantitativo, quanto qualitativo, de uma visitação inexpressiva de menos de mil pessoas em 2009, e nos anos anteriores, para mais de seis mil visitantes agora em 2010”. 
“Por tudo isto, e atendendo aos anseios da classe artística e do público, lançamos o Edital de Ocupação para 2011, esperando obter ainda melhores resultados”, pontua. As inscrições estão abertas. O edital encontra-se no site www.funesc.com.br 
Sobre as mostras
ONDE – O trabalho de Manoel Fernandes consiste numa série de fotografias que registram a intervenção do artista em duas de João Pessoa e Cabedelo. Munido de um rolo de pintura e  tinta guache de cor branca, ele contornava descartes e lixos residenciais depositados nas ruas à espera da coleta do caminhão de limpeza urbana do município.
No dia seguinte, ele voltava lá e fotografava esses contornos, agora sem os detritos. Dessa maneira, o artistas procura se submeter a tentativa de impor uma pausa momentânea sobre o curso daqueles lixos e detritos, estabelecendo uma narrativa da transitoriedade do desprezível que teve antes sua função, foi descartado e já não estava mais ali. 
Nesse processo, o artista reconhece que o seu desenho torna-se uma interferência no espaço público, como mais um “elemento” descartável que, nos próximos dias, irão se apagando, até o total desaparecimento.
‘Onde’ se apresenta como uma proposta de diálogo com o público freqüentador de um espaço expositivo, nesse caso, institucionalizado. Considerando a ação como um work in progress, no qual se debruçando sobre uma série de questionamentos e ações que, no momento, o artista se debate para solucioná-las.
 
Nessa busca, ele propõe, a transitar pelas questões em torno do apagamento, da domesticação do tempo, do transitório e da presença/ausência e, de maneira transversal, a questão metalingüística sobre o próprio espaço de exposição e apropriação do artista.
RECUERDOS – Para Cristina Carvalho, Recuerdos (palavra de origem espanhola que significa "lembranças") trata da preservação da memória. Sua instalação é composta por uma cômoda, um baú e prateleiras de vidro que interagem com objetos pessoais diversos, como cartas, fotografias e livros, em um jogo de dualidade (a cômoda branca tem poemas escritos em toda sua superfície com tinta vermelha; as prateleiras têm frascos de perfume enfaixados com fita de cetim, etc.).
A ideia é que o conjunto do trabalho possa remeter a memórias individuais e/ou coletivas. Afinal, para a artista, diante de diversas tecnologias atuais, alguns meios de preservação da memória estão sendo esquecidos ou substituídos. "O simples fato de guardar uma carta no fundo de uma gaveta já não é tão corriqueiro, pois as pessoas já não enviam cartas pelo correio, já não trocam fotografias com dedicatória… os objetos simples que iam parar no fundo do baú estão simplesmente desaparecendo da historia!”
SERVIÇO:
ONDE (de Manoel Fernandes) + RECUERDOS (de Cristina Carvalho)
Vernissagem: Terça-feira (21/12), às 19h;
Visitação: De 22/12 à 31/01, diariamente;
Onde: Galeria Archidy Picado (no Espaço Cultural José Lins do Rego, rua Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho, João Pessoa – tel.: 3211.6272).
Quanto: Gratuito.
Informações: (83) 3211-6272.
 
Assessoria de Imprensa da Funesc