Fale Conosco

18 de maio de 2013

Experiência educacional no Complexo do Serrotão é inédita no Brasil



wallber3 270x180 - Experiência educacional no Complexo do Serrotão é inédita no BrasilO secretário da Administração Penitenciária (Seap), Wallber Virgolino, voltou a se reunir com professores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) nesta semana, para ajustar os procedimentos que serão adotados no Complexo Penitenciário do Serrotão, em Campina Grande, com vistas aos cursos que a UEPB vai instalar dentro da penitenciária para os detentos.

A reunião aconteceu na quarta-feira (15) e contou com a participação do juiz da Execução Penal em Campina, Fernando Brasilino Leite; o advogado e ex-secretário da Administração Penitenciária, Harrison Targino; o gerente-executivo da Seap, tenente-coronel Arnaldo Sobrinho; diretores prisionais e professores da UEPB.

De acordo com o secretário, a atuação da universidade no interior do presídio é uma experiência inédita no Brasil. “Não existe no nosso país um presídio onde uma universidade funcione dentro dele. Isso aqui é um espaço da UEPB dentro do complexo penitenciário, onde, em breve, os presos terão oportunidade de fazer cursos com professores universitários, uma iniciativa inédita no Brasil. A determinação do governador Ricardo Coutinho é de que o projeto funcione da melhor forma possível, e nós vamos seguir à risca essa determinação”, disse Wallber.

O advogado Harrison Targino, antecessor de Wallber na Seap, também enfatizou o pioneirismo da Paraíba em levar a universidade para dentro do sistema prisional. “Não há similar no Brasil. É uma experiência nova e, talvez por isso, possa provocar incertezas em determinados setores, mas nós estamos convictos de que estamos no caminho certo. Nós vamos dar exemplo ao Brasil”, afirmou Harrison.wallber1 270x180 - Experiência educacional no Complexo do Serrotão é inédita no Brasil

O prédio da UEPB dentro do Serrotão possui oito salas de aula e um amplo auditório, além de um escritório modelo, onde estagiários do curso de Direito revisam os processos dos apenados, evitando que os presos passem mais tempo reclusos do que determinam suas sentenças. No presídio feminino, a parceria da Seap com a universidade resultou na construção de berçário e salas de aula.

Agentes penitenciários – Na reunião, o secretário Wallber Virgolino disse ainda que os agentes penitenciários também serão contemplados nessa parceria com a universidade. “Estamos conversando com a UEPB no sentido de oferecer cursos de especialização para os nossos servidores, e a resposta que obtivemos é positiva. A nossa ideia é promover cursos de gestão penitenciária, para os agentes que queiram se capacitar melhor antes de assumir o cargo de diretor de presídio, por exemplo”, concluiu o secretário.