João Pessoa
Feed de Notícias

Exibição de filmes sobre mulheres e diversidade marca programação comemorativa na Funesc

quinta-feira, 17 de março de 2011 - 09:16 - Fotos: 

Uma tarde de lazer e reflexão. Esse é o objetivo da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana com a exibição nesta sexta-feira (18), às 15h, do filme "Mulheres do Brasil", no Cine Bangué, no Espaço Cultural, em João Pessoa. A iniciativa, uma parceria com a Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), faz parte da programação que marca o Mês da Mulher, no período de 15 a 31 de março. Às 19h, no mesmo local, será exibido o filme "Segredos Íntimos".

A primeira sessão, com “Mulheres do Brasil”, será destinada exclusivamente a 550 servidoras municipais, estaduais e da Emlur. O longa-metragem mistura ficção e documentário, reunindo cinco histórias de brasileiras situadas em diferentes regiões do Brasil, de Maceió a Curitiba, passando por Bom Jesus da Lapa, na Bahia, sem deixar de fora grandes metrópoles como Rio de Janeiro e São Paulo.

O filme constrói um painel com leituras de situações ora sensuais, divertidas e delicadas ora debochadas e cruéis, como a violência contra a mulher na gravidez. São personagens de diferentes culturas e classes sociais, experiências de vida singulares, vivendo momentos especiais em suas trajetórias. Tempo de rupturas, descobertas, alegrias, tristezas, desvio de rotas e recomeço.

Segundo a Secretária Executiva de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares, o motivo de levar essas mulheres ao cinema é o de provocar a reflexão, unindo cultura e lazer. "O filme retrata histórias do cotidiano de mulheres brasileiras de diferentes regiões. Situações bem semelhantes à realidade das mulheres paraibanas", ressalta. A exibição do filme é gratuita e serão distribuídas senhas entre as servidoras.

A segunda sessão, que começa às 19h, será destinada ao público em geral. O Cines LES – com temática lésbica, vai apresentar o filme "Segredos Íntimos". Com direção de Avi Nesher, o filme conta a estória de Noemi – interpretada pela atriz Ania Bukstein – a dedicada filha de um rabino que consegue convencer o pai a adiar o casamento em um ano para que possa estudar em um seminário judeu.

Ela conhece Michel – papel vivido por Michal Shtamler – uma jovem teimosa e espontânea com quem faz amizade. Um dia as duas conhecem Anouk, interpretada por Fanny Ardant, uma estrangeira que possui um passado perturbador. Tentando ajudá-la, Noemi e Michel passam a levar Anouk em uma série de rituais cabalísticos, que abrem novos horizontes para todas. A exibição também é gratuita.

Segundo a Gerente Executiva de Direitos Sexuais e LGBT, Roberta Rocha Shultz, a ação é uma das metas da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana. "Com a ampliação da Secretaria, que inclui políticas públicas para o público LGBT, população negra e comunidades tradicionais, não podíamos deixar de incluir na programação do Mês da Mulher uma atividade voltada para as lésbicas. A escolha do filme deve-se ao fato de retratar as desigualdades de tratamento em relação às mulheres. A questão da influência da religião na vida delas, sobretudo de opressão e discriminação", afirma.