João Pessoa
Feed de Notícias

Exames são incluídos no novo programa da Secretaria com a entrega de 629 kits

sexta-feira, 19 de novembro de 2010 - 16:20 - Fotos: 
O Governo do Estado está implantando centrais de marcação de consultas e exames especializados nos municípios paraibanos. A primeira etapa do projeto teve início esta semana, com a distribuição de 629 computadores e de kits com impressora e mobília, aos primeiros 24 municípios contemplados na primeira etapa do projeto. O projeto foi elaborado pela Secretaria de Saúde do Estado (SES) em dezembro do ano passado e aprovado pelo Ministério da Saúde, através da portaria 3.188/09. O investimento total é de R$ 7,1 milhões, com recursos do MS e está divido em três etapas, com aquisição de 1.741 kits.

Nesta primeira etapa estão sendo utilizados 30% dos recursos, o que corresponde a R$ 2.130.000. As 24 cidades contempladas nesta etapa são: Bayeux (33 computadores), Santa Rita (41), Cajazeiras (19), Cabedelo (24), Araruna (08), Itabaina (18), Pedras de Fogo (17), Mamanguape (20), Guarabira (23), João Pessoa (96), Sumé (15), Esperança (25), Monteiro (25), Cuité (15), Picuí (19), Campina Grande (86), Serra Branca (10), Princesa Isabel (11), Piancó (20), Itaporanga (10), Patos (42), Catolé do Rocha (13), Sousa (32) e Pombal (15).  

Atendimento agendado – Com a implantação das centrais de marcação de consultas e exames, todas as unidades de saúde que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) vão ficar interligadas em uma rede de computadores. Segundo a gerente-executiva de Regulação e Avaliação da Assistência (Gerav/SES), Edjanece Romão, a segunda etapa do projeto deve ter início até o final deste mês, assim que o MS liberar a verba, que corresponde a 40% do total. A terceira etapa está marcada para o mês de março do próximo ano com utilização de 30% do recurso.    

De acordo com Edjanece Romão, dos 223 municípios paraibanos, apenas os que são sedes das macrorregionais de Saúde – João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa – possuem centrais de marcação. No restante do Estado, os serviços são marcados por telefone, em ambientes improvisados.

As centrais são responsáveis pelo agendamento de todos os serviços oferecidos pelo SUS, a exemplo de consultas, exames e cirurgias. “Com a informatização, o usuário sairá da unidade de saúde, sabendo o local, o dia e a hora em que terá acesso ao serviço, inclusive com o nome do médico que vai fazer o atendimento”, explicou Edjanece.

O projeto prevê que cada unidade básica de saúde da zona urbana, além de hospitais, serviços especializados e policlínicas que possuem convênio com o SUS, receberão um computador, que ficará interligado com as Centrais de Marcação dos municípios.  Estas centrais, por sua vez, farão o agendamento direto, via Internet, com as macrorregionais de Saúde ou com o município de referência para o serviço solicitado. “Teremos uma grande rede de computadores interligados, na qual vamos poder fazer o monitoramento desse fluxo nas quatro macrorregionais”, disse Edjanece.

Monitoramento do fluxo – Ela explicou que o projeto de informatização das centrais de marcação de consulta é a primeira etapa da implantação do Sistema de Informação de Regulação (Sisreg/SUS), no Estado. O Sisreg é um sistema de informações online, disponibilizado pelo Datasus, para o gerenciamento e operação das Centrais de Regulação, que possibilita o acompanhamento, via internet, do fluxo de referência da Programação Pactuada e Integrada (PPI).

“Através do Sisreg, que está em fase de implantação, teremos como saber se os municípios estão fazendo o atendimento de acordo com o que foi programado na PPI, além de podermos acompanhar a utilização dos recursos financeiros. Esperamos que os municípios que já receberam os kits e também já foram capacitados pelos técnicos da Secretaria de Estado da Saúde comecem a utilizar o sistema”, afirmou Edjanece.

Regulação Estadual 24h – O Complexo Estadual de Regulação Estadual vai passar a funcionar 24h em uma nova central que está sendo construída na SES e deve ser inaugurada no próximo mês. “O complexo hoje funciona na Secretaria, mas não tem capacidade para funcionar 24h. Por isso, tivemos que construir uma nova sede que vai contar com equipe de plantão composta por médico regulador e técnicos do sistema. Com isso, haverá a qualquer hora profissionais que possam acompanhar o processo de encaminhamento dos pacientes na rede hospitalar”, acrescentou.