João Pessoa
Feed de Notícias

Ex-aluna da UEPB lançará livro aprovado pelo MINC e doará exemplares

segunda-feira, 10 de maio de 2010 - 09:54 - Fotos: 
O projeto foi aprovado na seleção do edital Microprojetos Culturais Mais Cultura, proposto pelo Ministério da Cultura (MINC) e Governo Federal, ao lado do Banco do Nordeste, Instituto Nordeste Cidadania, Fundação Nacional de Artes (FUNARTE) e Fundação Cultural do Estado da Bahia.

O livro conta a trajetória desta pequena cidade no sertão baiano, localizada a Noroeste da Bahia, na microrregião de Irecê, a 480 km da Capital, Salvador. São Gabriel conta com aproximadamente 18 mil habitantes e tem apenas 25 anos de emancipação. De acordo com a autora, o viés jurídico existente no livro foi a pesquisa de um inventário de 1886. A partir disso, se conta a história da cidade, até chegar a sua emancipação, em 1985, quando se deram as eleições democráticas para a prefeitura.
 
Para o trabalho, neste projeto que se transformou em livro, Leonella teve ajuda do seu pai, João Purcino Pereira, que não é historiador formado, mas é um pesquisador nato, segundo ela. Ele foi professor do Setor Local do Conselho Nacional de Escolas da Comunidade nos anos 1980, onde também concluiu seu curso de Magistério. Hoje, ele é coordenador do Programa Todos Pela Alfabetização – TOPA, junto ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Gabriel – BA.

A autora explicou que a idéia e a pesquisa para o livro Terra dos Arcanjos já existia há muito tempo, mas a dificuldade em conseguir financiamento vinha adiando a realização da iniciativa. Foi então que veio o edital do Microprojetos Mais Cultura, que o Ministério da Cultura reservou para cada estado da federação. A partir disto, conseguiram aprovar o projeto.

O desejo da ex-aluna era receber todos os seus amigos de Campina Grande no evento. Todavia, ela sabe que a distância de 1.200 km dificulta este acesso. Assim, após o lançamento, Leonella garantiu que irá enviar exemplares à Biblioteca Central da UEPB. Deste modo, todos da UEPB poderão conferir a obra da ex-aluna.

Ela ressaltou que exemplares de livro serão doados à UEPB também para que sirva de incentivo à participação de alunos e professores em seleções desta natureza, que conferem uma oportunidade única de lançar um trabalho já com a referência de ter o apoio de instituições reconhecidas.
 
Ex-aluna quer ser professora na UEPB

Leonella Pereira ingressou na UEPB em março de 2005 e se formou em dezembro de 2009, tendo participado da colação de grau em janeiro deste ano, como representante do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ).
 
A bacharela em Direito explicou que escolheu a UEPB, tão longe de sua terra, porque muitas pessoas de sua cidade estudaram em Campina Grande e ela recebeu excelentes referências sobre a universidade e o curso de Direito. O fato de funcionarem duas casas de estudantes, na cidade, que recebem ajuda da prefeitura de São Gabriel facilitou a sua acomodação e estadia definitiva.
 
Já a opção pelo curso de Direito, segundo ela, nasceu a princípio pelo interesse no segmento político. “Sempre participei de manifestações políticas e de movimentos sociais. Vi no curso de Direito uma possibilidade de melhorar ainda mais minha participação nessa seara social e política. No curso, me encontrei com duas outras paixões: o movimento estudantil e a extensão universitária. Participei de gestões do DCE e do CA de Direito, além dos projetos de extensão Direito para todos, Frequência Jurídica e do Programa de Tutoria Especial”, relatou a bacharel.

 
Ela também revelou que gostaria muito de ingressar em uma pós-graduação, possivelmente na UEPB, mas afirmou que seu maior anseio é ser docente na Instituição. “Estou fazendo o possível para entrar em um curso de pós-graduação para que possa posteriormente participar dos concursos para professor. O bom filho a casa torna, não é mesmo?”, disse.
 
Leonella aguarda sua convocação para um concurso na cidade de Campina Grande. “Com o trabalho e a volta a Campina Grande, pretendo ingressar em algum curso de pós-graduação na área de Direitos Humanos ou Direito Penal, que foram as áreas em que mais tive afinidade durante o curso, e poder então realizar o sonho de ser professora da UEPB”, explanou.

Ascom/UEPB