Fale Conosco

21 de julho de 2009

Evento vai formular políticas públicas que contemplem a qualidade de vida e o desenvolvimento



Hoje, não é mais possível dissociar a saúde humana dos fatores ambientais. Para formular políticas públicas que contemplem a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável, o Governo do Estado está atendendo à convocação do Governo Federal e se preparando para 1ª Conferência Estadual de Saúde Ambiental, que deverá acontecer em João Pessoa nos dias 28, 29 e 30 de outubro próximo.

Na manhã desta terça-feira (21), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reuniu representantes de vários órgãos envolvidos com saúde e meio ambiente para definir detalhes da realização do evento estadual, que é preparatório para a conferência nacional, a ser realizada em Brasília de 15 a 18 de dezembro deste ano.

A reunião foi aberta pela secretária-executiva da Saúde, Lourdinha Aragão, e pela gerente da Vigilância em Saúde da SES, Cleane Toscano. O representante do Ministério da Saúde e da comissão organizadora da conferência nacional, Éric Fischer, falou da importância e objetivos da Conferência Nacional de Saúde Ambiental, que deve nortear a política do Governo Federal na área.

“O tema ‘saúde ambiental’ é antigo, mas as discussões são novas. Sabemos que vários fatores ambientais influenciam a saúde humana. Eles podem ser físicos (como ruídos e os fatores climáticos), químicos (agrotóxicos, drogas e outros), biológicos (bactérias, vírus, parasitas…), psicossociais (a exemplo do estresse e das doenças do trabalho) e antrópicos, que envolvem questões como transporte, desflorestamento. Precisamos buscar soluções para criar territórios sustentáveis, minimizando as conseqüências dos fatores ambientais para a saúde humana”, afirmou Éric Fischer.

Participação – A secretária-executiva da SES, Lourdinha Aragão, destacou a importância da participação da sociedade civil organizada nas discussões que antecedem a conferência e durante o evento. “É importante que todos se envolvam com essa questão e não fiquem somente nas mãos dos governos as decisões sobre o que deve ser feito para minorar os efeitos ambientais na nossa saúde”, disse.

A gerente de Vigilância Ambiental, Cleane Toscano, apresentou uma minuta do decreto governamental de convocação da conferência estadual, para que os representantes das instituições pudessem aprová-lo. Ainda foi criada a comissão organizadora da conferência pela SES, e que terá na vice-presidência a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado. Também foram definidas as subcomissões e a agenda para discussões sobre o regimento interno da 1ª Conferência Estadual de Saúde Ambiental.

Além de representantes da SES e do MS, participaram da reunião técnicos das secretarias estaduais de Planejamento, Infraestrutura, Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana de João Pessoa (Emlur).

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB