João Pessoa
Feed de Notícias

Evento debate saúde e assistência social do trabalhador, na Capital

terça-feira, 24 de novembro de 2009 - 17:14 - Fotos: 
A saúde e a assistência social do trabalhador foram o foco principal do Seminário Estadual sobre o Desenvolvimento de Sistemas Universais de Seguridade Social, que aconteceu nesta terça-feira (24) no Auditório do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), em João Pessoa. O evento envolveu as secretarias de Estado da Saúde (SES) e de Desenvolvimento Humano (SEDH) e a Gerência Executiva do INSS.

A organização ficou a cargo de uma comissão estadual, que contou com a representação de várias instituições, entidades e movimentos sociais e representantes da sociedade civil.
No final do seminário foram tiradas propostas e escolhidos os seis delegados que representarão a Paraíba no seminário nacional, que ocorrerá em Brasília (DF) entre os dias 4 e 6 de dezembro próximo. O evento nacional servirá para qualificar a atuação brasileira na I Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Sistemas Universais de Seguridade Social, a ser realizada no período de 22 a 26 de março do próximo ano, também em Brasília.

Fatores – De acordo com o professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e assessor de gabinete da SES, Lindemberg Medeiros de Araújo, desde que a Constituição Federal foi promulgada, em 1988, até hoje as políticas públicas voltadas para a melhoria na área de saúde ainda deixam muito a desejar.  Ele explicou que muitos agravos transmissíveis e não-transmissíveis não são controlados de forma ideal “e isso é uma ameaça à seguridade social do ponto de vista da saúde”.

Outro ponto destacado por Lindemberg Medeiros, que também fez parte da comissão organizadora do seminário, é com relação às questões de ordem social, econômica e de segurança pública.  Para ele, a concentração fundiária, a miséria, o narcotráfico, a violência urbana e a insegurança alimentar são fatores que afetam a saúde do trabalhador que não dispõe de uma assistência social adequada. “Sem condições sócio-econômicas para sobreviver, o ser humano busca uma solução e passa a matar e cometer outros crimes e, a partir daí, é desencadeada uma série de outros problemas”. Disse.

O professor lembrou que é preciso melhorar a assistência e o acesso do trabalhador aos serviços de saúde, a previdência e a assistência social e com isso fazer valer os Sistemas Universais de Seguraridade Social que são políticas públicas capazes de proteger integralmente a sociedade, garantindo-lhe direitos sociais, econômicos e humanos. “A pessoa tem que ter acesso aos serviços de saúde, ter uma boa assistência social, educação e segurança pública para ser de fato um verdadeiro cidadão”, comentou.

Melhorias – A gerente executiva do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), em João Pessoa, Socorro Brito, também defende melhorias na assistência à saúde voltadas para o cidadão. Na sua opinião, se  a pessoa  gozar de uma boa saúde, com certeza vai demorar a precisar dos serviços oferecidos pela Previdência e pela Assistência Social, como aposentadoria, pensões e auxílios que geram ônus financeiro para o Governo, que poderia usar esse dinheiro em outros setores para beneficiar o cidadão.

Ainda durante o seminário, que contou com a presença de lideranças comunitárias, representantes de sindicatos e outras entidades ligadas à saúde do trabalhador, foram enfocados painéis sobre as razões e oportunidades para a construção dos sistemas universais e seus imperativos democráticos e éticos; os desafios para alcançar a universalização da seguridade social e os caminhos políticos para a construção dos sistemas universais.

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB