João Pessoa
Feed de Notícias

Estudantes participam de campanha e doam vidros para banco de leite

segunda-feira, 10 de outubro de 2011 - 18:01 - Fotos:  Walter Rafael/Secom-PB

Campanha movimenta estudantes de uma escola particular. Foto: Walter Rafael/Secom-PB

A ‘Campanha de Doação de Vidros’, promovida pelo Centro Estadual de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral, foi lançada nesta segunda-feira (10), na sede do órgão, no bairro de Cruz das Armas, com a doação de cerca de quatro mil vidros por 30 estudantes – com idades entre 13 e 16 anos – de uma escola particular de João Pessoa. A campanha prossegue até o dia 30 e tem o objetivo de aumentar o estoque de frascos para armazenamento de leite humano.

A diretora do Banco de Leite, Thaise Ribeiro, explicou que com o crescimento da demanda – o número de doadoras passou de 2.239, de janeiro a agosto de 2010, para 3.049 doadoras, no mesmo período em 2011 – torna-se necessário também aumentar o número de frascos para armazenamento do produto. “Esses alunos estão dando a sua contribuição social e ambiental. Ações como essas serão sempre bem vindas”, comentou, explicando que os frascos a serem doados podem ser de café solúvel ou de maionese e devem possuir tampa rosqueável, pois suportam e ajudam a manter a temperatura, além de facilitar a lavagem, a estocagem e o resfriamento.

Os frascos entregues pelos alunos foram arrecadados durante gincana promovida pela escola. “Essa prova foi um sucesso na gincana, com a participação de 1,5 mil alunos. Acho que o que mais atrai a atenção destes jovens é a possibilidade de estar ajudando alguém. Para nós, da escola, é uma honra fazer parceria com uma instituição tão séria como esta”, explicou Patrício Júnior, coordenador da gincana do Colégio Geo, em Tambaú.

O aluno do 1º ano, Aluísio Moura Neto (15), ficou impressionado com o trabalho do Banco de Leite, apresentado para a turma em vídeo e com visita às instalações da unidade, onde foi mostrada a forma de conservar as doações e ainda como os bebês são alimentados com o leite doado. “Eu conheço uma pessoa que doa leite, mas nunca tinha vindo aqui. É muito importante este trabalho e é necessário que a população participe dessas campanhas, pois o cidadão, fazendo sua parte, serviços como estes ficarão cada vez melhores.”, disse.

Parceria com Emlur – Nesta terça-feira (11), essa mesma ação será com a Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), que também vai fazer a doação de recipientes de vidros para o armazenamento do leite. A parceria com a Emlur foi firmada no dia 22 de setembro e vai garantir a doação mensal de até mil frascos de vidros adquiridos na coleta seletiva. Thaíse Ribeiro espera que, com essa parceria, não faltem mais vidros para coleta de leite humano, uma vez que a expectativa é que a quantidade adquirida mensalmente sempre supere os 500 vidros.

Autossuficiência – De janeiro a setembro deste ano, do total de 3.910 crianças nascidas prematuramente, o Banco de Leite Anita Cabral atendeu 2.346, o equivalente a 60% do total. Além dos bebês prematuros, há ainda aqueles que não são alimentados porque as mães não conseguem produzir leite.

A Rede de Bancos de Leite Humano (BLH) arrecada, em média, 400 litros de leite por mês, com 300 mães doadoras. Esse volume atende 400 crianças receptoras, que demandam aproximadamente oito litros de leite por internação. O grande desafio do Centro de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral é atender a demanda de leite materno de todos os bebês prematuros que nascem na Paraíba até 2014 e tornar o Estado o segundo autossuficiente em leite humano. Até agora, apenas o Distrito Federal atende 100% dos prematuros.

Estímulo à produção de leite – Para que possam amamentar seus filhos e ter uma produção de leite normal, as mães precisam estar tranquilas e sossegadas, porque os problemas de bloqueio na produção do leite materno estão ligados a questões psicológicas. A diretora do Banco de Leite Anita Cabral explicou que a produção do leite está diretamente ligada à ação de dois hormônios: ocitocina e prolactina.

“Esses hormônios são afetados por fatores psicológicos, como nervosismo, estresse, preocupação e ansiedade. Se uma mãe estiver muito ansiosa para amamentar seu filho, por exemplo, a produção de prolactina vai suspender o estímulo à continuidade de formação do leite. As mães que sentirem dificuldade de amamentar podem também procurar nossa equipe multiprofissional, pois serão atendidas por psicólogos, médicos e enfermeiros”, ressaltou Thaíse.

As mães que estão com a produção normal de leite podem, além de alimentar seus próprios filhos, ajudar outras mães a salvar a vida dos bebês delas. Para doar, elas devem estar amamentando e ter boa saúde. As mães interessadas podem entrar em contato com o Banco de Leite Anita Cabral pelo telefone 3215-6047, informando o endereço. Elas receberão a visita de uma equipe multidisciplinar, com pediatra, ginecologista e psicólogo.

Amamentação – Conforme as recomendações da OMS, as crianças devem ser alimentadas exclusivamente por aleitamento materno durante os seis primeiros meses de vida. Ou seja, até essa idade, o bebê não deve receber nenhum outro alimento complementar ou bebida. Dos seis meses em diante, todas as crianças devem receber alimentos complementares como sopas e papas, mas deve-se manter o aleitamento materno, pelo menos, até os dois anos de idade da criança.

Em todo o Estado há seis bancos de leite – dois em João Pessoa e um em Campina Grande, Guarabira, Patos e Cajazeiras – e 17 postos de coleta, sendo nove em João Pessoa, três em Campina Grande e um em Sousa, Bonito de Santa Fé, Solânea, Itabaiana e Santa Luzia. Os quatro últimos foram inaugurados no último mês de agosto, durante a Semana Mundial de Aleitamento Materno.