Fale Conosco

24 de agosto de 2016

Estudantes da rede estadual se mobilizam para participar do Parlamento Juvenil do Mercosul



Estudantes da Rede Estadual de Ensino estão se mobilizando para se candidatar ao programa  Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM), promovido pelo próprio Mercosul em parceria com o Ministério da Educação (MEC), Governos Estaduais e outros órgãos e entidades ligadas à área. A Paraíba tem três vagas no programa, sendo uma para o sexo feminino, uma para o masculino e uma para os cotistas (negros, índios, quilombolas ou deficientes). As inscrições vão até o dia 5 de setembro. O edital com os detalhes da seleção está disponível no portal do MEC (http://portal.mec.gov.br).

Na primeira etapa, serão classificados 108 candidatos em todo o Brasil. Na segunda fase, será escolhido um representante de cada unidade da Federação, totalizando 27 estudantes. A previsão é de que essa etapa ocorra online, por meio de um portal criado pelo MEC especificamente para esse fim. Para participar, o interessado precisa elaborar um projeto de protagonismo juvenil. A proposta deve ser encaminhada à Gerência Executiva do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação (no 4º andar do Centro Administrativo do Estado) ou para uma instituição da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, juntamente aos demais documentos exigidos no edital.

Os alunos selecionados na etapa nacional, ou seja, os representantes de cada Estado e do Distrito Federal, terão mandato de dois anos e vão discutir o Ensino Médio nos países do Mercosul. A tarefa dos escolhidos será criar um documento que aborde o tema: O Ensino Médio que Queremos. A elaboração será em parceria com os selecionados na Argentina, Uruguai e Paraguai, juntamente aos jovens dos países associados ao Mercosul: Bolívia e Colômbia.

PJM – O projeto de protagonismo juvenil para estudantes do ensino médio surgiu dentro do setor educacional do Mercosul, e em cada edição (2010, 2012 e 2014) foram selecionados 27 estudantes brasileiros. Os jovens do PJM concentram as reflexões nos temas: inclusão educativa, gênero, jovens e trabalho, participação cidadã dos jovens e direitos humanos.