João Pessoa
Feed de Notícias

Estado terá maior número de unidades credenciadas do País e flúor na água

segunda-feira, 10 de maio de 2010 - 18:22 - Fotos: 
A Paraíba vai ganhar 37 novos laboratórios de prótese dentária e 60% da sua população devem ser beneficiados com a fluoretação da água. Os detalhes dos dois projetos foram discutidos, na manhã desta segunda-feira (10), pelo coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, e o secretário estadual de Saúde, José Maria de França.

São 203 novos laboratórios no País e a Paraíba é o Estado que mais terá unidades credenciadas para atender a uma população de desdentados que não teve acesso à prevenção e ao tratamento de doenças dentárias. Já com a adição de flúor na água, os governos esperam criar, no futuro, uma ‘geração sem cárie’.

Gilberto Pucca garantiu que os recursos (mais de R$ 1 milhão) para a compra dos equipamentos para a fluoretação da água nas regiões de João Pessoa e Campina Grande já estão empenhados e devem ser liberados neste primeiro semestre. A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) se encarregará de instalar o material, adequar o sistema e monitorar a qualidade da água. Já a Secretaria de Estado da Saúde, que coordena o projeto, firmará convênio com a Cagepa para repassar recursos, mensalmente, para a compra do flúor.

“Em pouco tempo, a Paraíba experimentará uma inversão muito grande na área de saúde bucal e pagará uma dívida enorme que tem com a sua população. A Paraíba já tem 16 laboratórios credenciados e com os novos, o Estado só perderá em quantidade de unidades para São Paulo. Isso não é por acaso. Só está acontecendo porque a Paraíba já tem 85% dos municípios com, pelo menos, uma equipe de saúde bucal na atenção básica e tem 46 centros de especialidades odontológicas (CEO). Os laboratórios são para atender a uma população que teve seus dentes extraídos, porque não teve acesso à política nacional de saúde bucal, que só começou a ser implantada no Brasil a partir de 2004”, destacou Pucca.

Novos laboratórios – Segundo o coordenador de Saúde Bucal do MS, Gilberto Pucca, as novas unidades representam um crescimento de 200% no número de laboratórios do Estado (são 16 atualmente), o que permite uma produção estimada de 1.750 próteses por mês. Os 16 laboratórios que já estavam credenciados recebiam R$ 510 mil por ano. Com os novos, o total estimado de investimentos para 2010 passa a ser de R$ 2,12 milhões. Os recursos já aplicados entre 2005 e 2010 nesta iniciativa, na Paraíba, são de R$ 3,5 milhões.  

Terão novos laboratórios os municípios de Aguiar, Algodão de Jandaíra, Aparecida, Araçagi, Aroeiras, Bayeux, Belém, Boqueirão, Cacimba de Dentro, Cajazeiras, Condado, Cuité, Cuitegi, Dona Inês, Esperança, Igaracy, Itaporanga, João Pessoa, Lucena, Marizópolis, Massaranduba, Mogeiro, Natuba, Ouro Velho, Picuí, Pilar, Pocinhos, Princesa Isabel, Riachão do Bacamarte, Santa Luzia, Santo André, São João do Rio do Peixe, São José do Sabugi, Solânea, Soledade, Taperoá e Umbuzeiro.

Os 16 laboratórios já existentes no Estado estão em Araruna, Belém, Catolé do Rocha, Conde, Coremas, Guarabira, João Pessoa, João Pessoa, Monteiro, Patos, Prata, Pedras de Fogo, Piancó, Pombal, Santa Luzia e Sousa. Segundo Pucca, nos próximos dias deve sair uma nova portaria do MS e os municípios que não foram contemplados com laboratórios poderão apresentar seus projetos.

Funcionamento – Os municípios são os responsáveis por definir os critérios de planejamento e de seleção dos pacientes que vão receber as próteses – que podem ser totais, parciais, ou até mesmo de um único dente. Segundo Pucca, a recomendação é que as pessoas que precisam de próteses, procurem as unidades básicas de saúde bucal dos seus municípios, para que sejam avaliadas e encaminhadas por um profissional dentista. A instalação dos novos laboratórios também vai permitir a contratação de mais dentistas e protéticos no serviço público.

Momento histórico – A Política Nacional de Saúde Bucal tem quatro frentes de atuação: equipes na atenção básica, Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias e adição de flúor às águas das centrais de abastecimento público. “Graças a um esforço pessoal do Gilberto Pucca, vamos conseguir fluoretar as nossas águas. É uma determinação antiga, de mais de 10 anos, que esperamos colocar em operação em agosto ou setembro. A previsão é que, em cinco anos, com a adição de flúor na água, consigamos reduzir em 50% o índice de cárie na população e caminharmos realmente para que a nova geração tenha um índice zero de cárie”, disse o secretário José Maria de França.  

A minuta do convênio que deve ser assinado entre a SES e a Cagepa foi apresentada durante a reunião. O projeto teve início no ano passado, com encaminhamento da então gerente da Atenção Básica, Niedja Rodrigues, e será colocado em prática pela atual gerente Liana Lima. As duas participaram do encontro no Gabinete do Secretário José Maria de França, na manhã desta segunda-feira, que também contou com as presenças de Gilberto Pucca; do presidente da Cagepa, Alfredo Nogueira Filho, e de gerentes e técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), da Cagepa e da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB