João Pessoa
Feed de Notícias

Estado se mobiliza e vacina mais de 180 mil crianças contra a paralisia

segunda-feira, 14 de junho de 2010 - 09:10 - Fotos: 

Na Paraíba, o ‘Dia D contra a pólio’ mobilizou mais de 5 mil profissionais de saúde, em 1.412 postos fixos e volantes, nos 223 municípios paraibanos. Com o tema ‘Vacinou, é gol’, a campanha nacional quer imunizar mais de 15 milhões de crianças brasileiras menores de 5 anos e, destas, 318.466 são paraibanas. No final do dia, o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) já registrava que 180.921 crianças tinham tomado as duas gotinhas contra a paralisia infantil. A abertura estadual da campanha aconteceu na manhã de sábado (12), no Complexo de Pediatria Arlinda Marques, na Capital, com a presença da Turma do Zé Gotinha.

A festa da vacinação no Arlinda contou, ainda, com brincadeiras e apresentações da Banda da Polícia Militar e do grupo de dança do Peti de Cabedelo. O coordenador estadual da Imunização, Walter Albuquerque, lembrou que o último caso de pólio foi registrado em 1989, na Paraíba. As crianças que não foram imunizadas no sábado devem ser levadas às unidades de saúde, nesta semana. “Conseguimos uma boa cobertura no Dia D. Vacinamos 56,81% da população-alvo”, avaliou.

Walter destacou que, no Brasil, as campanhas de vacinação independem de questões políticas, porque já foram incorporadas pelas pessoas. “Aqui (diferente de outros países), as campanhas foram assumidas pela população, que só precisam ser avisadas do dia do evento para comparecerem. Temos um dos maiores calendários de vacinação do mundo, eliminamos o sarampo, erradicamos a pólio e vacinamos mais de 78 milhões de brasileiros contra a influenza H1N1”, ressaltou.

A gerente-executiva da Vigilância em Saúde da SES, Cleane Toscano, justificou a ausência do secretário José Maria de França, que estava cumprindo outra agenda no sábado. Ela disse que não tinha dúvidas que o Estado, de novo, alcançaria a meta da vacinação contra a poliomielite. “Agradecemos a todos os pais e responsáveis que levaram suas crianças aos postos e desejamos muito êxito a todos os municípios neste dia, que tenhamos mais uma vitória contra a paralisia infantil”, afirmou.

‘Dose tripla’ – Os trigêmeos Christian Júnior, Laís e Isa, de 2 meses de idade, abriram simbolicamente a vacinação das crianças, no Arlinda Marques. Os pais, os médicos Christian Diniz e Juliana Gadelha, fizeram questão de levar os bebês para serem imunizados em campanha, pela primeira vez. “Este momento é muito importante e, por isso, estamos aqui. Esperamos que a nossa presença e dos nossos filhos contribua para incentivar a campanha”, disse o neurocirurgião, que faz parte da equipe do Arlinda Marques. A médica e diretora do Complexo de Pediatria, Darcy Lucena, ajudou a vacinar as crianças.

Este é o 30º ano de campanha nacional de vacinação contra a pólio e o 21º ano sem a doença no país.  A poliomielite ou paralisia infantil é uma doença infecto-contagiosa viral aguda, que pode provocar seqüelas permanentes ou levar à morte. O único reservatório da poliomielite é o homem. O vírus se instala e se multiplica no tubo digestivo e logo pode apresentar viremia, com invasão do sistema nervoso central e ataque às células motoras. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principais características: flacidez muscular.

Outras vacinas – Além da vacina anti-pólio (Sabin oral), foram disponibilizadas nos 1.007 postos fixos vacinas contra  outras doenças, como coqueluche, sarampo, difteria, rubéola, tétano e rotavírus. Segundo o MS, em geral, tomar duas ou mais vacinas no mesmo dia não oferece risco à saúde das crianças. A vacina contra a poliomielite é contra-indicada para crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida e em tratamento com corticosteróides por mais de duas semanas.

Assessoria de Imprensa da SES-PB