Fale Conosco

19 de fevereiro de 2015

Estado divulga local de provas para Residência Multiprofissional do Arlinda Marques



A Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba (Cefor-RH/PB) e da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu)  divulgou, na tarde desta quinta-feira (19),  o local e o horário da realização da prova do Processo Seletivo  para o preenchimento das vagas do Programa de Residência Multiprofissional  em Saúde da Criança (Remusc), conforme edital  nº 003\20015 publicado no Diário Oficial do Estado no dia 16 de janeiro desse ano.

De acordo com a presidente da Comissão do Processo de Seleção para a Residência Multiprofissional em Saúde da Criança e da Comissão de Residência Multiprofissional, Gilsandra de Lira Fernandes, as s provas serão aplicadas neste sábado  (21) no horário das 8h às 12h (horário local), no Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-RH), situado no  Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, na Avenida Dom Pedro II – 1826- Torre – João Pessoa.

A duração prevista do Programa de Residência é de 24 meses, com uma carga horária de 60 horas semanais. O objetivo é especializar profissionais de saúde para trabalhar na atenção às demandas vinculadas à saúde da criança, direta ou indiretamente, buscando a formação complexa e progressiva dos residentes no SUS. Os residentes receberão mensalmente uma bolsa estipulada pelo Ministério da Saúde, atualmente no valor bruto de R$ 2.976,26.

A formação será realizada no Complexo Pediátrico Arlinda Marques, na Capital, e na rede de serviços estaduais de saúde da Paraíba, que atua no cuidado da criança e do adolescente (Unidades de Atenção Básica; Centros de Referência como o Banco de Leite Humano e Unidades Hospitalares do Estado que oferecem assistência ao grupo infanto-juvenil).

O Arlinda Marques, que é o maior complexo de pediatria da Paraíba, será o principal cenário de práticas da Residência. Prestando assistência a pacientes entre 0 e 16 anos de idade, da Paraíba e de estados vizinhos, a estrutura física é composta pelo hospital infantil, o ambulatório e a administração. É realizada uma média mensal de 3 mil atendimentos de urgências e emergências no hospital e uma média de 11 mil no ambulatório de especialidades. Realiza, ainda, uma média de 33 mil procedimentos no ambulatório.

Segundo o diretor geral do Complexo Pediátrico Arlinda Marques, Bruno Leandro de Souza, a instituição dispõe de estrutura física que comporta, adequadamente, o desenvolvimento de residência multiprofissional, com sala de reunião, acesso gratuito à internet, biblioteca, secretaria e sala de repouso para os residentes. Os alunos poderão contar, ainda, com o espaço físico estrutural para a realização de práticas de assistência (urgência/emergência, enfermarias de clínica médica, enfermarias de clínica cirúrgica, UTI geral, UTI cardiológica e neurológica, bloco cirúrgico, leitos cirurgia dia, leitos de observação/estabilização, ambulatórios de pediatria geral e de especialidades, bem como consultórios médicos no ambiente hospitalar, entre outros).

O diretor destacou que o hospital é o centro de referência de triagem neonatal e o Ambulatório de Vítimas de Violência (Amviva); é também centro de referência de imunobiológicos especiais (Crie), entre outros serviços multiprofissionais e especializados. “Vale ressaltar que este Projeto de Residência Multiprofissional em Pediatria foi aprovado pela primeira vez no Estado. Isso é o resultado do empenho da Secretaria de Estado da Saúde, que tem viabilizado e apoiado o projeto, da dedicação de toda a equipe que compõe a Residência, dos profissionais do Arlinda e da Faculdade Santa Emília de Rodat, como instituição parceira”, disse.

Gilsandra de Lira Fernandes explicou entre os pontos positivos da residência destacam-se o aumento na produção das atividades científicas, dos espaços que estão realizando seus rodízios e da construção de novos protocolos clínicos assistenciais. “Um fator muito importante é a influência que nossos residentes exercem sobre os demais profissionais, incentivando-os a procurar se atualizar e se capacitar cada vez mais. Quem sai ganhando com isso são os nossos usuários, que podem desfrutar de uma assistência especializada com excelência nas áreas de cuidado integral à saúde da criança”, comentou.