João Pessoa
Feed de Notícias

Estado discute implantação de vacina contra HPV e inicia vacinação em março

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 - 18:06 - Fotos:  Antonio David / Secom-PB

O Governo do Estado reuniu instituições de saúde para discutir a implantação da vacina contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) no calendário vacinal do SUS em 2014 e vai começar a aplicá-la a partir do mês de março. A ação foi realizada através da Secretaria de Saúde (SES) e, de acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, o encontro marcou apenas o início das discussões.

O objetivo, neste momento, foi iniciar um grupo técnico para conduzir a implantação da vacina contra o HPV aqui no Estado. Por este motivo é importante ter todos esses setores, educação e saúde juntos. A implantação da vacina vai acontecer nas escolas públicas e privadas, como também nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), então a gente precisa trabalhar em conjunto”, explicou Isiane.

A população a ser vacinada na Paraíba este ano é de 104.710 adolescentes. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% do público-alvo e irá atender em postos de saúde espalhados pelo Estado. A vacina, que ajuda a proteger contra o câncer do colo do útero, é administrada via intramuscular, quadrivalente (age nos subtipos HPV 6, 11 ,16 e 18) e é destinada exclusivamente à utilização preventiva. “Essa vacina não tem efeito demonstrado ainda nas infecções pré-existentes ou na doença clínica já estabelecida. Ela apresenta maior evidência de proteção e indicação para pessoas que nunca tiveram contato com o vírus. Ela não substitui a realização do exame preventivo, o papa Nicolau, nem o uso de preservativos”, explicou Talita Tavares.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra HPV pode ser administrada simultaneamente com outras do Calendário Nacional de Vacinação do Programa Nacional de Imunização (PNI), sem interferências na resposta de anticorpos a qualquer uma das vacinas. Os efeitos colaterais são leves, poucos freqüentes (entre 10 a 20%) e podem incluir dor e vermelhidão no local da injeção, como também febre baixa. A previsão é para que a SES comece a receber as doses da vacina a partir de fevereiro.

Participaram do encontro: a Gerência de Atenção Básica, as Linhas de Cuidado com a Saúde da Mulher e Saúde da Criança e do Adolescente, o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems), o Núcleo de Imunização, as Gerências de Vigilância Epidemiológica e Vigilância em Saúde, além da Secretaria Estadual de Educação.

Quem deve tomar – A vacina será dividida em três doses: a 1ª será ofertada para meninas que tenham entre 11 e 13 anos este ano, ou seja, nascidas entre 01/01/2001 e 31/12/2003, em UBS e escolas públicas e privadas.

A 2ª dose será administrada seis meses após a 1ª. Já a 3ª dose será administrada cinco anos após a 1ª. “Para que as adolescentes estejam devidamente protegidas contra o câncer do colo do útero, devem ser tomadas as três doses como recomendado pelo Ministério da Saúde”, explicou a gerente executiva de Vigilância em Saúde, da SES, Talita Tavares. A vacina ficará disponível nas UBS durante todo o ano.