João Pessoa
Feed de Notícias

Estado conclui metade dos Arranjos Produtivos Locais e garante R$ 4,3 milhões para zona rural

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 - 16:47 - Fotos: 

Secom-PB

Cerca de 50% dos projetos de Arranjos Produtivos Locais (APLs), desenvolvidos por meio de parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com o Governo do Estado, por intermédio da Emater e do Projeto Cooperar, estão em fase de conclusão. Das 33 propostas aprovadas, 14 estão praticamente prontas, com recursos liberados e obras em fase de finalização ou concluídas. Já foram investidos aproximadamente R$ 4,3 milhões. Mais de duas mil famílias serão beneficiadas em todo Estado.

Um dos projetos que já colhem frutos dessa iniciativa fica em Lucena e é coordenado pela empresária Mauricéia Barbosa de Aguiar. Como presidente da Associação Mãos que se Ajudam, ela buscou parcerias para fortalecer a produção do doce conhecido como “Cocada na Kenga”. Foram liberados cerca de R$ 200 mil para ampliação do negócio. “Esse dinheiro foi fundamental para a nossa Associação, nós melhoramos e ampliamos a estrutura, compramos maquinário e agora investimos numa novidade: as biojóias, bijuterias feitas à base da quenga do coco”, revelou a presidente.

Em Matinhas, uma packing house vai permitir que os agricultores expandam a produção de laranja. “Além disso, vamos garantir mais qualidade aos compradores, limpando e selecionando as melhores frutas para o mercado regional e nacional”, disse a presidente da Cooperativa de Citricultores de Matinhas, Maria Betânia. Na construção da packing house, que está na fase final da obra, foram investidos cerca de R$ 540 mil.

Secom-PB

Outros projetos de APLs estão prestes a ser concluídos ou já estão em atividade, a exemplo da Unidade de Beneficiamento de Frutas de Natuba; da Rota da Confecção, de Queimadas; do galpão de comercialização de doces e artesanato, em Sumé; da Unidade de Beneficiamento de Leite Bovino, em Piancó; do Entreposto de Apicultura, em Poço José de Moura; da Queijeira de Leite de Cabra, em Caturité; ou da Unidade de Beneficiamento de Caju, em Serra Branca.

O gestor do Projeto Cooperar, Roberto Vital, reforçou a importância dos Arranjos Produtivos Locais para o Estado. Segundo ele, o andamento dos projetos mostra que a parceria entre Governo do Estado e BNDES pode ser reiterada e beneficiar mais famílias de agricultores. “É uma grande satisfação ouvir dos trabalhadores e trabalhadoras do campo que a liberação desses recursos vai mudar a vida de centenas de famílias e ampliar a produção com foco no mercado nacional”, afirmou o gestor.

APLs – Os Arranjos Produtivos Locais são grupos de empresas de um mesmo território que mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais (governo, associações de trabalhadores, empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa). Esses grupos começaram a se desenvolver no final dos anos 90, num processo que tem se modificado, por meio da realidade econômica de comunidades rurais e de empreendedores em áreas urbanas.