Fale Conosco

27 de fevereiro de 2018

Estado apresenta números da Caravana do Coração e anuncia programa para 2018



RicardoPuppe Cais Cristo02 270x180 - Estado apresenta números da Caravana do Coração e anuncia programa para 2018O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Paraíba e a rede de perinatologia, realiza nesta quarta-feira (28), reunião técnica para implementação e qualificação da Rede de Atenção Materno Infantil. Acontece na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, do Espaço Cultural, em João Pessoa, às 10h e conta com a participação de gerentes regionais de saúde, gestores municipais de saúde e diretores de maternidades de todo o Estado.

Na oportunidade, serão apresentados os resultados de atendimentos voltados para gestantes na Caravana do Coração 2017, o primeiro ano em que o projeto atendeu este público por meio do “Estudo das Marias”. Além disso, será apresentado o projeto da Caravana do Coração 2018 e a proposta de intervenção para qualificação da Rede de Atenção Materno Infantil no Estado.

“A mortalidade materna teve uma redução de 26,5% entre os anos 2016 e 2017”, afirma a secretária de Saúde, Claudia Veras. “O Governo da Paraíba tem um compromisso com a saúde da população, com as prioridades que precisam ser dadas. No ano passado, reunimos todos os gestores dos municípios que tiveram óbitos maternos, traçamos o Plano de Enfrentamento à Morte Materna, onde identificamos as situações que levavam a estes óbitos. Esta ação de qualificação que será desencadeada a partir de agora foi com base na identificação dessas necessidades de apoio e qualificação da assistência perinatal, que envolve o pré natal, assistência ao parto e puerpério”, explicou Claudia.

Estudo das Marias – Ação iniciada na Caravana do Coração em 2017 que funciona como uma espécie de triagem onde gestantes aleatórias foram avaliadas. Durante a ação, as gestantes foram acolhidas e, em seguida, passaram por exames de teste rápido, peso, pressão arterial, glicemia, exame de urina, além de passar por consultas de enfermagem, obstétrica e ultrassonografia.  No caso da gestante apresentar um quadro mais grave, como pressão arterial muito alterada, por exemplo, ela era encaminhada para o obstetra do serviço. Já aquelas que os exames mostraram resultados normais foram recomendadas a continuar o pré-natal na Rede de Atenção Básica.