Fale Conosco

26 de março de 2012

Espep realiza atividade extraclasse sobre conservação do patrimônio histórico



A Escola de Serviço Público do Estado da Paraíba (Espep) promoveu, nesse final de semana, uma atividade extraclasse com os alunos do curso Introdução à Preservação e Conservação do Patrimônio Histórico. Os servidores estaduais que participaram do curso viajaram para Olinda e Recife, onde conheceram monumentos históricos e o Instituto Ricardo Brennand.

Segundo o arquiteto Brunno Cézar Medeiros, professor do curso, a escolha pelas duas cidades pernambucanas se deve ao fato de serem uns dos principais berços da colonização. “O patrimônio histórico da Paraíba tem um valor inestimável, mas está mais acessível aos alunos. Por isso decidimos visitar o Estado vizinho”, explicou.

Em Olinda, os alunos conheceram a Igreja São Bento, do Século 16, um dos principais monumentos da arquitetura barroca brasileira e da arquitetura beneditina. Também visitaram o Alto da Sé, o ponto mais alto da cidade, e o Convento da Igreja do Carmo, além de fazerem uma caminhada por grande parte do sítio histórico.

Em Recife, a visita foi feita ao museu do Instituto Ricardo Brennand, localizado em um complexo arquitetônico em estilo medieval, onde os alunos participaram do projeto Peça a Peça. Por meio deste projeto, eles fizeram um circuito pelas exposições do instituto, assistiram um vídeo cultural e desenvolveram uma atividade voltada ao belo, diferenciando o que é feio e o que é bonito na arte.

“A atividade extraclasse foi muito significativa para o aprendizado. Pudemos fazer uma ligação entre a teoria, vista em sala de aula, e a prática. Isso gerou um envolvimento ainda maior com o que foi estudado. O curso nos proporcionou a sensibilização pelo preservar e cuidar”, disse a aluna Martha Pollyanna Dias.

Conteúdo – Com o intuito de despertar nos alunos a consciência para a educação patrimonial e a relevância dos patrimônios para a história e a arquitetura, o curso Introdução à Preservação e Conservação do Patrimônio Histórico, encerrado sábado (24), foi dividido em três etapas.

Na primeira etapa, foi abordado o que é patrimônio, identidade cultural e o valor histórico. Na segunda, foi feito um breve histórico da preservação no Brasil, passando pelo antes e depois da criação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e as leis que vigoram até hoje. Já na terceira etapa, os alunos conheceram um pouco sobre gestão patrimonial, o que se pode fazer para conservar o patrimônio e realizar solicitações de tombamento.

“A preservação do patrimônio é de extrema importância para a história. Procurei despertar essa consciência nos servidores estaduais participantes do curso. Possivelmente, eles se tornarão agentes multiplicadores”, ressaltou o professor Brunno Medeiros.