Fale Conosco

11 de maio de 2017

Escola que funciona nas unidades socioeducativas completa 32 anos



A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Almirante Saldanha, que funciona nas unidades socioeducativas de João Pessoa, completou 32 anos de existência e atuação. Ela vem transformando vidas por meio da educação de jovens e adolescentes privados de liberdade. Sob a tutela da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice Almeida” (Fundac), a escola funciona como qualquer outra da rede estadual, com a mesma grade curricular. Os 32 anos foi celebrado com um café da manhã no Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE).

A diretora da escola, Wilma Costa, disse que a Escola Almirante Saldanha se configura como mais um instrumento no processo educacional, sendo responsável direta pela mediação e facilitação desse processo. “Nossa escola tem um caráter fundamental no processo educacional dos nossos jovens, uma vez que uma parcela significativa dos nossos alunos sequer teve a oportunidade de ter contato com uma instituição escolar antes de nós”, comentou.

Para Wilma, a Almirante Saldanha reconhece os seus limites no fazer educativo, assim como reconhece também suas potencialidades. “Estando diretamente vinculada à socioeducação, embora ainda não seja reconhecida como tal, tentando, dentro do que lhe é permitido, cumprir com sua missão educadora, estando sempre disposta a traçar e colocar em prática as estratégias necessárias para a garantia de um processo fluido para o nosso alunado”, disse.

A diretora ressalta, no entanto, que a Escola Almirante “se configura como de extrema importância na formação intelectual e de vida dos nossos alunos, porque, para além de entender da sua missão social educativa, ainda entende que o seu fazer educacional requer mais esforço e disponibilidade do que se espera, e a isso a equipe que compõe esta Escola está disposta a doar”, declarou.

A Escola Almirante Saldanha conta com 41 professores, distribuídos nas quatro unidades que abrange o Centro Educacional do Jovem (CEJ), na Internação Provisória (CEA/JP), do Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE) e na Casa Educativa. Os professores ministram aulas de todas as disciplinas e destacam que muitos alunos gostam quando são comemoradas as datas especiais. No mês de agosto, por exemplo, quando se celebra o Folclore, os alunos participam de leitura de fábulas, das apresentações em vídeo e da parte lúdica.