Fale Conosco

15 de dezembro de 2015

Escola Estadual de Cajazeiras encerra ciclo de encontros com entrega do DVD “Emoções na Família”



see eja curos emocoes na familia em cajazeiras 2 270x191 - Escola Estadual de Cajazeiras encerra ciclo de encontros com entrega do DVD “Emoções na Família”Os pais e alunos da Escola Estadual Joaquim Victor Jurema, localizada na cidade de Cajazeiras, participaram nessa segunda-feira (14) do evento de encerramento do ciclo de oito encontros sobre Educação Emocional e Social com Famílias e Comunidade e, além de receberem os certificados de participação, também foram presenteados com o DVD “Emoções na Família”. No evento, além de agradecimentos e relatos dos participantes, ainda foram realizadas apresentações artísticas feitas por crianças e adolescentes e um coquetel foi oferecido pela escola aos participantes e familiares dos alunos.

see eja curos emocoes na familia em cajazeiras 1 270x191 - Escola Estadual de Cajazeiras encerra ciclo de encontros com entrega do DVD “Emoções na Família”A Escola Joaquim Victor Jurema tem se destacado em Cajazeiras desenvolvendo um trabalho interativo junto à comunidade local, que participa ativamente dos projetos da escola, que possui cerca de 200 alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, além da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Nossos funcionários se destacam pela dedicação, buscando acolher bem os alunos e os pais que buscam na escola apoio e troca de experiência contribuem para a melhoria da aprendizagem dos seus filhos e a redução dos conflitos”, destacou a gestora da escola, Maria de Fátima da Silva. A diretora acrescenta ainda que a implantação da educação emocional na escola possibilitou uma maior aproximação e interesse dos pais, que hoje são bem mais participativos. “Com os encontros ‘Emoções na Família’ houve troca de experiências entre escola e pais, que colocaram em prática em casa o que aprenderam aqui, tendo como resultados mais harmonia no lar, filhos mais participativos e com melhor desempenho em sala de aula”, explicou.

Outro tópico trabalhado pelo projeto foi o diálogo com os pré-adolescentes e adolescentes. “O diálogo com essa turma muitas vezes é difícil, requer preparo emocional e tudo isso foi facilitado pela vivência nos encontros. Um bom momento para desenvolver o conhecimento do pai para agir e minimizar angústia, ansiedade, insegurança, contornando situações conflituosas bastante comuns nessa fase em que a criança começa a experimentar profundas transformações físicas e psíquicas”, contou a educadora socioemocional Edilene Bosísio.

Adams Ricardo 270x191 - Escola Estadual de Cajazeiras encerra ciclo de encontros com entrega do DVD “Emoções na Família”Edilene Bosísio ressaltou a importância do diálogo citando o caso da mãe de uma aluna de 14 anos, que apresentava atos violentos e não demonstrava muito interesse em sala de aula. “O diálogo e o carinho passaram a fazer parte da relação delas e os laços de amizade se fortaleceram. Assim, as coisas entre elas passaram a fluir de maneira positiva, não apenas em casa, mas também em sala de aula”, enfatizou Edilene Bosísio.

O coordenador do Programa Saúde na Escola, Adams Ricardo, falou da dinamicidade do processo de educação. “A educação emocional veio para melhorar e fortalecer as relações familiares e com a escola”, afirmou. Os oito encontros realizados pela escola Joaquim Victor contaram com a participação de dez educadores.

Dayane de Sousa, mãe de uma aluna de oito anos, destacou que a cada encontro descobria formas de melhorar seu comportamento, de ser uma nova pessoa na compreensão das atitudes rebeldes de sua filha. “Só tenho a agradecer por ter tido a oportunidade de aprender tanto sobre meu comportamento e como posso usar esse conhecimento para me tornar cada vez melhor. Espero que as mães que não participaram desses encontros possam vir no próximo ano”, comentou.

Geralda Petron lia 270x191 - Escola Estadual de Cajazeiras encerra ciclo de encontros com entrega do DVD “Emoções na Família”Para outra mãe, Geralda Petronila, a aprendizagem sobre o silêncio foi algo importante na sua relação com o esposo, que, segundo ela, sempre que chegava em casa, era grosseiro e não a respeitava. “Passei a ficar em silêncio todas as vezes que ele falava de maneira rude comigo, ao ponto dele questionar ao nosso filho o porquê de eu não lhe dar atenção naqueles momentos. Meu filho respondeu que aquilo estava ocorrendo devido à falta de respeito dele. Foi uma espécie de desabafo pra mim, pois ninguém quer ser tratado com violência”, disse Petronila.