João Pessoa
Feed de Notícias

Equoterapia melhora a qualidade de vida de jovens e adolescentes

quinta-feira, 8 de abril de 2010 - 15:44 - Fotos: 

Para comemorar o primeiro ano de aniversário do Centro de Equoterapia da Polícia Militar da Paraíba, localizado no parque Henrique Vieira de Melo, Bairro do Cristo Redentor, várias atividades artístico-cultural foram realizadas.

O Esquadrão de Cavalaria da Polícia Militar é atualmente comandado pelo major Francimar Vieira Lins, que na oportunidade ressaltou a importância do Centro de Equoterapia para as pessoas portadoras de necessidades especiais.

Tratamento eficaz – Já o tenente-coronel Jefferson Costa e Silva, coordenador do Centro, enalteceu as vantagens do tratamento para as pessoas com necessidades especiais através do cavalo, “que é um animal nobre e tem várias utilidades desde os primórdios da humanidade”. Várias crianças e adolescentes recebem tratamento e, segundo os pais dessas pessoas, conseguem resultados impressionantes e melhoram a qualidade de vida.

A Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de Saúde, Educação, Psicologia e Equitação. É um trabalho realizado por equipe especializada e requer, além dos conhecimentos particulares de cada profissão, alto grau de conhecimento desse instrumento terapêutico – o cavalo – e familiaridade com o animal, para se obter bons resultados.

O cavalo precisa apresentar características específicas, próprias para esta prática e, mesmo sendo um animal ideal, a qualidade da assistência e os resultados são baseados no tratamento especializado em Equoterapia do terapeuta, na sua perícia e experiência clínica e o quanto ele integra o uso do cavalo em um programa terapêutico abrangente.

Desde Hipócrates – Os efeitos terapêuticos com o cavalo vêm sendo descritos desde a época de Hipócrates (458-370 a.C.), que indicava a equitação para regenerar a saúde. A utilização da Equoterapia é coerente com a prática padrão da Fisioterapia, Psicologia, Fonoaudiologia etc., na medida em que a atividade é experimental, funcional e exercida em um ambiente natural. O movimento do cavalo, como uma ferramenta, pode ser comparado a outros instrumentos como bolas, patinetes ou balanços.

No entanto, a variabilidade do movimento do cavalo, o ritmo, a dimensionalidade, a regularidade e a habilidade do terapeuta em atuar nesses tipos de movimento fazem com que o cavalo, como uma ferramenta, suplante as demais. Através do movimento tridimensional e multidirecional desse animal (considerado o mais semelhante ao da marcha humana), é possível mandar estímulos ao praticante (paciente de Equoterapia) para a conquista do equilíbrio, relaxamento, coordenação, adequação do tônus muscular e desenvolvimento neuropsicomotor.

Emocionalmente, o praticante é favorecido pelo ambiente natural, trocas afetivas com o cavalo, além de se trabalhar a segurança e a autoconfiança através da possibilidade do domínio de um animal grande e forte. Diversão, prazer e descontração fazem com que o paciente seja um participante ativo em seu processo de reabilitação, característica importante que difere dos atendimentos em consultórios.

Marcos Tadeu, com fotos de Werneck Moreno, da Assessoria de Imprensa da PM