João Pessoa
Feed de Notícias

Equipes recebem treinamento sobre perfil e acolhimento do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires

sexta-feira, 13 de abril de 2018 - 10:51 - Fotos:  Secom-PB

Desde a inauguração do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, os colaboradores da unidade de saúde participam de treinamentos sobre protocolos, procedimentos e equipamentos para a padronização das atividades. A partir dessa quinta-feira (12), até a próxima semana, uma jornada de treinamentos sobre perfil hospitalar, humanização e acolhimento é realizada em turmas multiprofissionais diárias, para garantir que os mais de 500 funcionários recebam as informações corretamente.

Entre os profissionais que participaram da primeira turma estão recepcionistas, motoristas, técnicos e enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, maqueiros, assistentes sociais, técnicos de segurança do trabalho, entre outros.

A diretora-geral do Hospital Metropolitano, Roberta Abath, ressaltou que a humanização no atendimento começa a partir de cada um. “Quando nós enxergarmos o outro como uma extensão de nós mesmos, percebemos como podemos acolher melhor”, afirmou.

Para ela, entender o significado de acolher é desenvolver empatia pelos pacientes, tratá-lo como um ente querido. “Esse hospital vai tratar do coração, mas se o coração de vocês não estiver limpo e livre, vocês não serão capazes de acolher. Estou dispondo o meu coração primeiramente para vocês”, comentou.

A diretora se colocou à disposição para auxiliar na implementação de todos os serviços.

Mais de 70 colaboradores participaram da primeira turma e puderam tirar suas dúvidas sobre os fluxos de atendimento e o perfil do hospital. Kátia Cordeiro, supervisora de Educação Continuada, explicou onde estão situados os ambientes do hospital e que tipo de serviços serão oferecidos na unidade.

Hilton Rangel, coordenador da Urgência, enfatizou que o hospital atenderá serviços regulados pelo SUS, ou seja, apenas encaminhados de outras unidades. Ele explanou como funciona a classificação de risco na unidade de saúde.

O coordenador pontuou que todos os colaboradores na linha de frente de atendimento devem estar inteirados dos serviços oferecidos, para orientar quem vem ao hospital. “Devemos usar uma só linguagem para educar a população sobre como o hospital funciona”, observou.

Gilberto Teodózio, gerente assistencial, também ressaltou a importância da participação de todos na organização dos processos. ‘Toda construção das atividades é conjunta”, enfatizou.

Equipes de diversos setores recebem ainda treinamentos sobre o uso dos equipamentos disponíveis no hospital, como o ventilador pulmonar/respirador e eletrocardiograma, entre outros, até a próxima semana.