João Pessoa
Feed de Notícias

Equipe avalia impacto dos recursos do PAC na pesquisa agropecuária do Estado

segunda-feira, 10 de maio de 2010 - 18:30 - Fotos: 
Técnicos dos Ministérios do Planejamento e da Agricultura, acompanhados de pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), visitaram recentemente estações experimentais da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária (Emepa), quando constataram os avanços que estão se processando nos trabalhos realizados na Paraíba. A proposta era saber o nível de impacto dos recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) na pesquisa agropecuária no Estado.

O presidente da Emepa, José Costa, informou que no final do ano passado foi assinado um convênio no valor de R$ 8,4 milhões com a Embrapa, que viabilizará a realização de pesquisas para permitir à Paraíba avançar ainda mais em suas tecnologias.

Os técnicos informaram que este ano serão investidos R$ 72 milhões no fortalecimento das instituições integrantes do Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária, em todo o País. Os investimentos possibilitam a revitalização da infraestrutura que facilitará a execução de novos projetos de pesquisa.

Os representantes dos órgãos federais se reuniram com os diretores da Emepa e pesquisadores, e depois visitaram a Estação Experimental José Irineu Cabral, localizada no Bairro de Mangabeira, em João Pessoa. “Para nós que estamos na coordenação, a visita dá subsídios para a gente trabalhar e negociar o novo PAC, mostrando quais são os impactos que os recursos do primeiro já geraram e o que ainda precisa ser feito, preparando a agropecuária nacional para enfrentar os desafios que estão vindo pela frente”, afirmou Petula Ponciano Nascimento, coordenadora de Relacionamento Institucional da Assessoria de Relações Nacionais da Embrapa.

O coordenador da área de Agricultura da Secretaria de Planejamento e Investimento Estratégico do Ministério do Planejamento, Marcos Antônio Pereira de Oliveira Silva, reconheceu  a existência de dificuldades para os técnicos saberem o que vem sendo feito nos centros de pesquisa. “É de fundamental importância ter esse conhecimento, saber como esse dinheiro está sendo aplicado, pois estamos tratando com dinheiro público”, comentou.

José Nunes, da Assessoria de Imprensa da Emepa