Fale Conosco

25 de janeiro de 2013

Envio de arquivos digitais EFD vai incluir 11,2 mil empresas do regime normal



Os contribuintes estaduais do regime normal terão de adotar este ano apenas a modalidade de Escrituração Fiscal Digital (EFD) para enviar as informações fiscais via internet. Segundo a Secretaria de Estado da Receita, a obrigatoriedade, até o ano passado, incluía pouco mais de 3 mil contribuintes, mas a partir deste mês de janeiro a obrigatoriedade foi estendida a todas as empresas desse regime, que são 11,2 mil.

A data limite de envio dos arquivos EFD permanece o dia 15 do mês seguinte, tendo como base os dados apurados no mês anterior. Neste caso, o primeiro envio de 2013 para mais de 8 mil empresas do regime normal será até 15 de fevereiro. A obrigatoriedade da modalidade EFD, que faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), alcança também todos os estabelecimentos com inscrição estadual com o mesmo radical do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). Já as empresas enquadradas no regime do Simples Nacional continuam desobrigadas da entrega da EFD este ano.

A chefe do Núcleo de Declarações da Receita Estadual, Tatiana Menezes, informou que foram alteradas as tabelas do Estado da Paraíba utilizadas no ambiente Sped Fiscal, com data retroativa a 1º deste mês. “As empresas de programadores que são contratadas pelos contribuintes para enviar a EFD precisam atualizar e ajustar as tabelas com os respectivos códigos (5.1 e 5.2). Elas já estão disponíveis na internet no endereço http://www1.receita.fazenda.gov.br”, lembrou.

A Receita Estadual acrescenta ainda que o envio dos arquivos digitais EFD, que incluem os registros dos livros dos contribuintes como os de entrada, de saída, de apuração, do inventário e do Controle de Crédito do ICMS do Ativo Permanente (CIAP), vai dispensar o envio da GIM (Guia de Informação Mensal), que é uma obrigatoriedade mensal atual dessas empresas do regime Normal.

O secretário de Estado da Receita, Marialvo Laureano, revelou que a portaria que previa a obrigatoriedade da EFD foi publicada com antecedência de mais de quatro meses, antes de entrar em vigor este ano a nova modalidade de EFD que vai substituir os dados da GIM. “Para evitar transtornos aos contribuintes não apenas ampliamos os prazos, mas publicamos a portaria em setembro do ano passado para que elas pudessem fazer o planejamento para este ano. O envio dos arquivos digitais pela EFD é uma tendência nacional, e irreversível, que o mundo fiscal passa atualmente no País, sobretudo com a evolução do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped). A Paraíba vai também seguir esse modelo, que vai trazer mais agilidade e ampliação de informações e, ao mesmo tempo, redução de custos para as empresas”, comentou.

Desde2009, aReceita Federal do Brasil e as Secretarias Estaduais da Receita vêm exigindo gradativamente o uso da EFD pelos contribuintes em várias atividades econômicas. A Escrituração Fiscal Digital faz parte da modernização do Fisco e compõe o Sped. O modelo unifica informações fiscais de todos os contribuintes do ICMS, substituindo os livros fiscais no formato físico para os arquivos digitais.