João Pessoa
Feed de Notícias

Entre as novidades está a percepção que o estado continua crescendo acompanhando a região

sexta-feira, 19 de novembro de 2010 - 16:26 - Fotos: 
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual  (IDEME) divulgaram nesta sexta-feira (19) uma relatório com dados sobre a macro economia da Paraíba.

Segundo o coordenador do trabalho, Constantino Cronemberger, do Ipea, entre as novidades apontadas pelo relatório de 58 páginas que estuda o período de 2002 a 2008, estão a percepção que o estado continua crescendo, acompanhando a região.

“Além disso, a Paraíba universalizou o ensino fundamental. Todavia, a qualidade ainda precisa ser melhorada. Mostramos no relatório os desafios que o estado precisa enfrentar. A Paraíba é importadora de bens e serviços e precisa fazer ações que possam reverter isso, como investimentos em energia e qualificação de mão-de-obra. Outro dado importante é que houve crescimento do emprego, ainda que esse emprego, muitas vezes, seja de baixa qualificação”, disse o pesquisador.

Entre os dados ressaltados pelo relatório estão uma taxa de crescimento do estado acima do Brasileiro e do Nordeste, mas com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) inferior. Contudo, estes dados, dentro do próprio estado, mostram que algumas cidades têm IDH superior à média paraibana, caso de João Pessoa.

Um outro é que o fluxo migratório do estado tem sido maior do que o número de pessoas que chegam a Paraíba, vindas de outros lugares. A Paraíba recebe mais gente do Piauí, Alagoas, Ceará e Sergipe e tem grande fluxo migratório para Pernambuco e o Rio Grande do Norte. O relatório constatou que 53% da população paraibana vivem com renda per capita abaixo de meio salário mínimo. A constatação é que muitos dos que deixam o estado vivem em situação melhor.

Outro dado relevante é que a Paraíba tem perdido sua capacidade de investimento próprio ao longo dos anos – caiu de 4,8% em 2002 para 2% em 2007, em relação ao PIB – ficando dependente de investimento do Governo Federal ou da obtenção de empréstimos.

Sobre o comércio, a Paraíba tem grande fluxo de divisas entre os estados da região e com exceção do setor industrial os demais setores têm saldo negativo na balança comercial. A pauta de exportação do estado está concentrada, principalmente, em dois segmentos: calçados e tecidos.  

Em relação ao emprego, o estudo indica que é alto o número de pessoas empregadas pela Agricultura, ainda que esse número venha sendo reduzido ao longo dos anos, com crescimento da Indústria, Comércio e da Administração Pública, mas o setor é crucial do ponto de vista estratégico social.

Este relatório é o primeiro resultado prático do acordo firmado entre do governo do estado no início do ano, através do Ideme e o Ipea. A sua confecção teve a participação de professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e do Instituto de Educação Superior da Paraíba (IESP).