Fale Conosco

24 de maio de 2013

Energia renovável é tema de reunião na ARPB



O secretário de Interiorização da Ação do Governo, Carlos Antonio Araújo, se reuniu nessa quinta-feira (23) com diretor-presidente da Agência de Regulação do Estado da Paraíba (ARPB), José Otávio Maia, para discutir a criação do Centro de Energia Renovável. A reunião aconteceu em João Pessoa, na sede da ARPB, que atua também em cooperação com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). José Otávio disse que governo e entidades já estudam a viabilidade econômica do programa de energia renovável.

Carlos Antonio citou estudo que aponta que o Noroeste da Paraíba é um dos melhores lugares do Brasil em relação à incidência dos raios solares. “Cidades da região de Sousa e Patos, por exemplo, têm uma radiação média anual de 20 MJ/m². Em um mês, quando tem muito sol, a Paraíba tem incidência de 24 MJ/m² ou 26 MJ/m²”, comenta. Megajoule (MJ) é uma unidade de medida de energia, também usada para aferir a incidência de radiação solar.

Cerca de 70% do território paraibano têm naturalmente a maior reserva de irradiação solar da América. Aquilo que antes era considerado ruim, excesso de sol, poderá em breve se transformar numa grande fonte de riqueza”, assinalou Carlos Antonio.

Os secretário da Interiorização ainda ressaltou a Aneel publicou recentemente uma resolução com o objetivo de estimular a geração doméstica de energia solar A medida vai incentivar e reduzir barreiras para essa produção de energia, dando desconto na conta de luz, caso haja produção excedente.

Energia solar - O governador Ricardo Coutinho assinou decreto, em abril, concedendo benefício à empresa Brasil Solair, pioneira no país na produção de painéis para captação solar (fotovoltaicos) e inversores energéticos. A companhia já está se instalando em João Pessoa e deve começar suas operações nos próximos meses, gerando aproximadamente 200 empregos e promovendo troca de conhecimento com a Alemanha.

Um estudo de viabilidade econômica será feito para analisar as demandas de cada segmento industrial da Paraíba. A partir desse estudo, o Estado terá mais instrumentos para investir no uso da energia solar em sua produção, fortalecendo o desenvolvimento sustentável de toda a Paraíba.