João Pessoa
Feed de Notícias

Enem é aplicado em 16 unidades prisionais da Paraíba

terça-feira, 4 de dezembro de 2012 - 17:39 - Fotos: 

As Secretarias de Estado da Educação (SEE) e da Administração Penitenciária (Seap), em parceria com o Governo Federal, por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), realizam nesta terça (4) e quarta-feira (5) o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 16 unidades prisionais da Paraíba. Duzentos e sessenta e três apenados estão se submetendo às provas, cujo número é cinco vezes maior do que o total de inscritos em 2011.

O Exame está sendo aplicado por uma equipe composta de um coordenador, dois aplicadores e dois agentes de segurança. O Enem é constituído por quatro provas objetivas, contendo cada uma 45 questões de múltipla escolha e uma redação. Neste primeiro dia, são respondidas questões de Ciências Humanas e Ciências da Natureza em quatro horas e meia de prova. Nesta quarta-feira (5), serão aplicadas as provas de Linguagens e Códigos e Matemática, além da Redação, com duração de cinco horas e meia.

Segundo a gerente executiva de Educação de Jovens e Adultos da SEE, Maria Oliveira, os detentos poderão prestar vestibular e ingressar no ensino superior ao alcançarem o regime semiaberto e aberto, caso atinjam a média exigida. “Caso eles não consigam a pontuação necessária, será emitida uma declaração de proficiência que dará direito a realizarem o exame supletivo daquelas provas que não obtiveram pontuação”, explicou. A média ainda poderá ser aproveitada para conseguir a certificação de conclusão do Ensino Médio.

O Centro de Reeducação Feminina Maria Júlia Maranhão concentra o maior número de detentas que realizam as provas do Enem. Com um total de 62 internas aptas as provas, a diretora Cinthya Almeida organizou uma operação especial para que tudo ocorresse com segurança.

“Esses dois dias serão diferentes e especiais. O Enem é mais uma forma de ressocialização. As mais de 60 inscritas estão animadas e torcemos para que tenham um bom desempenho nas provas. Uma coisa eu garanto, muitas delas estudaram e se dedicaram de verdade”, destacou a diretora assegurando a presença de agentes plantonistas durante todo o exame.

As provas estão sendo aplicadas nas seguintes unidades prisionais: Penitenciária de Segurança Máxima Criminalista Geraldo Beltrão, Colônia Penal Agrícola de Sousa, Centro de Reeducação Feminina Maria Julia Maranhão, Penitenciária Regional de Patos, Penitenciária João Bosco Carneiro, Penitenciária Desembargador Silvio Porto, Penitenciária Padrão de Santa Rita, Penitenciária de Psiquiatria Forense, Penitenciária Padrão Regional de Cazajeiras, Presídio Regional de Sapé, Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, Penitenciária Jurista Agnello Amorim, Penitenciária Vicente Claudino Pontes (Guarabira), e em Campina Grande na Penitenciária Regional, Padrão e a Feminina.

Exames supletivos – Com o objetivo de proporcionar a qualificação dos apenados, foram aplicados no mês de setembro exames supletivos para 780 internos de penitenciárias, presídios e cadeias públicas de todo o Estado.

Na oportunidade foram aplicadas provas de história, geografia, português, matemática, química, física, inglês, espanhol, artes, filosofia sociologia e literatura brasileira.

As ações fazem parte do programa “Cidadania é Liberdade” do Governo do Estado que desde o ano passado realiza iniciativas nas áreas de educação, trabalho, saúde, cultura e família.

Formação profissional - Além de formação acadêmica, a Gerência de Ressocialização da Seap, em parceria com as iniciativas pública e privada, já ofereceram formação profissional a cerca de 600 detentos e familiares em todo o Estado. “Ainda no mês de dezembro nós vamos aumentar esse número. A expectativa é formar quase 1000 reeducandos e familiares. No fim do ano todos que concluíram os cursos receberão seus diplomas em uma grande solenidade”, informou a gerente de ressocialização da Seap,  Ziza Maia.