Fale Conosco

14 de outubro de 2011

Encontro no Interpa orienta sobre exploração sustentável de florestas em assentamentos



A retirada de madeira de florestas pode ser feita de maneira sustentável, com ciclos de 15 anos para cada área desmatada. A orientação foi dada durante o 2º Encontro Estadual de Manejo Florestal Comunitário, realizado na manhã desta sexta-feira (14), na sede do Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado (Interpa), em João Pessoa.

O objetivo do encontro, que contou com a participação de entidades não-governamentais e representantes de assentamentos agrícolas, foi discutir formas de extração da madeira dos assentamentos rurais sem comprometer a sustentabilidade. O encontro foi promovido pela ONG SOS Sertão, de Patos, que tem atuação em todo o Estado. “Buscamos garantias de equilibrar a atividade rural e o meio ambiente. Que ambos possam coexistir e oferecer qualidade de vida às pessoas”, disse o coordenador da entidade, Joaquim Neto.

Segundo ele, é comum o agricultor tentar comercializar a madeira do assentamento, sem critérios, muitas vezes agredindo o meio ambiente, por falta de informação. “A ideia é fazer com que a retirada de madeira aconteça de forma ordenada, com ciclos de 15 anos para cada área desmatada”, disse. O coordenador ressaltou ainda que, para cada local de manejo, o agricultor deve fazer um replantio orientado.

O Interpa é um dos parceiros da ONG nessa série de ações. “Sabemos que é importante orientar o homem do campo sobre os benefícios relacionados ao manejo consciente. Ele precisa perceber que a realização desse trabalho é essencial ao seu futuro – e nossa missão é contribuir para que isso aconteça”, salientou o presidente do Interpa, Nivaldo Magalhães.

O debate realizado pelos participantes do encontro servirá de base para a elaboração do Plano Anual de Manejo Florestal, do Ministério do Meio Ambiente.