Fale Conosco

22 de fevereiro de 2013

Encontro discute Planos de Vigilância em Saúde com foco em turistas



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) reuniu, na tarde dessa quinta-feira (21), coordenadores de imunização dos municípios de João Pessoa, Cabedelo, Bayeux e Campina Grande para discutir o Plano de Vigilância em Saúde com relação às doenças exantemáticas. A reunião aconteceu no auditório do Conselho Intergestores Bipartite (CIB), no prédio da SES, e contou com a presença e aproximadamente 20 profissionais de saúde desses municípios.

“O objetivo desta reunião é sentar junto com os municípios que dispõem de aeroportos e portos, para pensar, programar e definir ações, a fim de nos prepararmos para eventos que estarão acontecendo, a exemplo da Copa das Confederações e Copa do Mundo, que vão trazer um grande fluxo de pessoas ao nosso Estado. Mesmo João Pessoa não sendo uma cidade sede, ela fica localizada entre duas sedes, que são Natal e Recife. Além disso, dispõe de grandes atrativos turísticos”, disse a gerente operacional de Vigilância Epidemiológica da SES, Bernadete Moreira.

Durante a reunião foram recomendadas algumas ações para os municípios, como orientação sobre vacinação para os viajantes, intensificação de vacina para os trabalhadores da área de do turismo, estruturação de medidas preventivas contra sarampo, rubéola e influenza, entre outros, identificação dos serviços. “Os municípios precisam de uma definição de uma rede de referência que possa dar um suporte a todo esse fluxo de turistas que estaremos recebendo. Essas informações precisam ser claras e visíveis para todos”, afirmou Bernadete.

Segundo a chefe do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas da SES, Ana Estela, é importante produzir material informativo bilíngue. “Seria importante a produção de material informativo, como folders, em português e inglês, orientando assim o turista sobre qual serviço de saúde ele pode procurar e lá terá uma pessoa que poderá entendê-lo para ser bem atendido”, disse. Os municípios vão enviar as propostas de plano de ação para SES, onde serão realizadas novas reuniões para a discussão destes planos.

Doenças exantemáticas – A doença exantemática é definida como doença infecciosa sistêmica em que manifestações cutâneas acompanham o quadro clínico, gerando dificuldade diagnóstica. Doenças não infecciosas como hipersensibilidade a drogas, picada de insetos, queimadura solar e algumas reumatológicas podem constituir diagnóstico diferencial. No geral, são doenças que deixam manchas na pele, a exemplo do sarampo, rubéola, dengue, hepatite e tuberculose.