Fale Conosco

29 de maio de 2009

Empasa pretende dobrar a capacidade produtiva de alevinos



A Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa) pretende dobrar a capacidade produtiva de alevinos, que é de 5 milhões de alevinos/ano, e passará para 10 milhões/ano, graças a um convênio de cooperação técnica com o Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnoc’s) que está sendo objeto de análise pelo governador José Maranhão.

Conforme o presidente da estatal, Neto Franca, no convênio, o Dnoc’s vai ceder a Estação de Piscicultura do Perímetro Irrigado de São Gonçalo em Marizópolis à Empasa, a fim de gerenciar e operacionalizar o equipamento que será responsável pela produção de alevinos de tilápia tailandesa revertida para atender os projetos privados de tanques-rede na Paraíba.
 
Com o ganho na infra-estrutura, 50% da produção de alevinos do Programa Estadual de Peixamento da estatal será ofertado aos pequenos piscicultores de associações comunitárias, e 50% será destinada a venda. Com a receita, a Empasa fará investimentos na Estação de Piscicultura em Itaporanga e berçários de alevinos em Patos, Sousa e Riachão.

De acordo com o engenheiro de pesca da Empasa, Celso Carlos Duarte, a reversão sexuada da tilápia é um processo de melhoramento genético adotado pelas estações de piscicultura de todo o País. A vantagem da técnica é que são produzidos alevinos 100% machos com maior ganho de peso em tempo recorde, num período de 180 dias, onde cada alevino chega a atingir 500 gramas.

“No processo normal de reprodução onde não há a reversão, os reprodutores e matrizes se reproduzem precocemente, retardando o ganho de peso ideal que é de 500 gramas em 180 dias, e daí alcança apenas 200 gramas num mesmo período de tempo”, lembrou Celso Duarte.
A Estação de Piscicultura do Perímetro Irrigado de São Gonçalo em Marizópolis possui uma área de 6 hectares, cuja infra-estrutura é dotada de viveiros de manutenção de reprodutores, matrizes e formação de alevinos, além de laboratórios de larvicultura, escritório de apoio e tanques de distribuição de alevinos.

Para o coordenador do Dnoc’s na Paraíba, Francisco Mariano da Silva, a operacionalização da Estação de Piscicultura de Marizópolis pela Empasa vai representar um grande desenvolvimento econômico para a região do Sertão com benefícios diretos para 53 municípios paraibanos. “Temos a certeza que esse equipamento estará em boas mãos”, lembrou.

Da Assessoria de Comunicação da Empasa