Fale Conosco

31 de julho de 2009

Empasa busca parceria com a PMCG para atender comerciantes de hortifruti



A abertura de 1.000 novos postos de trabalho e o atendimento a 120 comerciantes de hortfruti que estão na fila de espera por um espaço de comercialização. Esses serão os benefícios diretos de uma parceria entre a Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa) e a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG), conforme anunciou o presidente da estatal, Germano Targino, em sua primeira visita à Central de Abastecimento local, na quinta-feira (30).

Ele informou que a demanda gerada por um novo espaço na unidade da empresa em Campina Grande, considerada a primeira maior em comercialização da Paraíba com uma média de 12 a 13 mil toneladas/mês, fez com que a direção da estatal, por recomendação do governador José Maranhão, procurasse resolver o impasse dos comerciantes.
Atualmente, os comerciantes vendem seus produtos a céu aberto, sob sol e chuva e ocasionando além do desconforto para quem vende e compra, prejuízos com a perda dos produtos.

“Diante disso, fizemos uma visita a uma área vizinha ao nosso entreposto e que pertence à Conab com quatro galpões e áreas livres. Metade desse espaço abriga o Programa Fome Zero há cinco anos, mais ações sociais como o Banco de Alimentos, Centro de Apoio à Agricultura Familiar, Horta Modelo, Vaca Mecânica e Padaria, e decidimos encaminhar um ofício ao prefeito e parceiro Veneziano Vital, solicitando uma audiência para resolver a questão”, informou Germano Targino.

Conforme o presidente da Empasa, na parceria a ser firmada caberá à PMCG ceder a área e, em contrapartida, a estatal vai fazer a doação de grande parte do excedente da comercialização que hoje chega, segundo informações da gerência de Mercado de Campina Grande, a 5 toneladas/semana. “Esse quantitativo será destinado ao próprio Banco de Alimentos da PMCG”, informou.

Segundo Éder Rotondano, vinculado ao Fome Zero da PMCG, o Banco de Alimentos hoje tem um cadastro de 38 mil pessoas e atende restaurantes e cozinhas comunitárias do município, e só com hortifruti chega a disponibilizar 14 toneladas/mês.

Da Assessoria de Imprensa da Empasa