João Pessoa
Feed de Notícias

Emepa realiza teste Progênie em gado Sindi para aumentar a produção de leite

terça-feira, 15 de setembro de 2015 - 12:24 - Fotos: 

A Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), integrante da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, desenvolve o teste Progênie em gado Sindi desde 2014. O gado da raça Sindi, devido sua facilidade de adaptação, tem-se constituído numa alternativa para a produção de leite na região semiárida, mesmo com as peculiaridades climáticas.

O programa foi lançado pela Associação Brasileira dos Criadores de Sindi e Embrapa/Centro Nacional de Pesquisa de Gado Leiteiro, durante a Exporzebu em Uberaba, Minas Gerais, em maio do ano passado. Na ocasião, entre outros, estiveram presentes os pesquisadores da Emepa, Rômulo Pontes de Freitas Albuquerque e Ricardo Henrique de Miranda Leite, e o Presidente da ABCSindi, Mário Borba.

O teste Progênie é uma metodologia que avalia os touros pelo desempenho produtivo de suas filhas em vários rebanhos, produzidas por acasalamentos aleatórios, com sêmen codificado, em rebanhos puros e mestiços.  Também são utilizadas as filhas resultantes dos acasalamentos dirigidos, nos rebanhos puros em controle leiteiro oficial realizado pelo Programa de Melhoramento Genético Zebuíno, da Associação Brasileira de Criadores de Zebu, desde que atendam as exigências de número, distribuição entre fazendas e conexão genética entre grupos de contemporâneos.

Segundo o pesquisador Rômulo Albuquerque, nestes testes, mais recentemente, acrescentou-se a utilização de sêmen identificado em matrizes que possuam controle leiteiro oficial. Todo o trabalho de pesquisa é realizado na Estação Experimental de Alagoinha, com o acompanhamento do diretor técnico Manuel Duré.

Para o pesquisador, este é o método mais preciso para se avaliar o real potencial genético de um touro para a produção de leite. Para que um touro seja avaliado e disponibilizado ao mercado é necessário que tenha produzido várias filhas e que estas tenham encerrado a primeira lactação. “Para isto, usualmente são gastos mais de seis anos”, explicou.

O teste de Progênie começou há mais de três décadas com os zebuínos das raças Gir e Guzerá, e finalmente no ano passado a raça Sindi foi incluída no Programa de Melhoramento Genético – Teste Progênie. Rômulo recorda que os criadores desta raça consideraram a decisão como um fator decisivo para garantir competitividade com as demais raças zebuínas – Guzerá e Gir – melhoradoras para produção de leite em ambiente tropical.

Atualmente vários núcleos criatórios já se habilitaram para participar da implementação deste programa de melhoramento da progênie. Participarão todos os criadores da raça Sindi que tiverem interesse no programa.