Fale Conosco

11 de dezembro de 2013

Emepa e Instituto Cubano discutem parceria técnica



O diretor técnico e pesquisador da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), Wandrick Hauss de Sousa, participou do IV Congresso Internacional de Produção Animal e da XXIII Reunião da Associação Latino-Americana de Produção Animal (Alpa), realizados na última semana de novembro, em Cuba. A missão foi financiada pelo Finep-CNPq.

Na ocasião, foi realizada uma reunião com diretores do Instituto Cubano de Investigação dos Derivados da Cana de Açúcar (ICIDCA), com o objetivo de identificar possíveis áreas de interesse comum que possibilitem estruturar uma parceria internacional.

A reunião aconteceu em Havana, capital de Cuba, entre o diretor técnico da Emepa, Wandrick Hauss de Sousa, e o diretor do ICIDCA, Manuel Díaz de los Rios. Eles analisaram as bases para um acordo de cooperação internacional de pesquisa, transferência de tecnologia e desenvolvimento interinstitucional, como elemento estratégico para o fortalecimento do uso dos derivados da cultura da cana na alimentação animal.

Além disso, a parceira visa apoiar a formação de recursos humanos de alto nível, ou seja, intercâmbio entre pesquisadores, técnicos e alunos brasileiros e cubanos, vinculada a projetos conjuntos de cooperação científica entre a Emepa e o ICIDCA.

A parceria entre as duas instituições possibilitará o intercâmbio de experiências, realização de eventos internacionais, com participação de profissionais de Cuba e Brasil, acesso a tecnologias e estudo conjunto de problemáticas comuns, com alternativas diferentes às realidades locais.

Participaram dessa reunião, os diretores Wandrick, Manuel Díaz, e o chefe de desenvolvimento do ICIDCA, engenheiro Gustavo Saura Laria, além do professor Maurício Leite, da Universidade Federal de Pernambuco, que atua no grupo de pesquisa da Emepa.

Para o presidente da Emepa, Manoel Duré, a parceria é fundamental e os interesses entre os dois países são comuns. “Cuba tem resultados reconhecidos com pesquisas na cultura de cana e é reconhecida em âmbito mundial com elevada possibilidade de adaptação às condições técnicas e empresariais da Paraíba, principalmente no que se refere à utilização de resíduos e subprodutos da indústria sucroalcooleira e da cachaça na alimentação de ruminantes e não ruminantes; alimentação animal com cana de açúcar suplementada com diferentes cultivos proteicos; ao aproveitamento da vinhaça como alimento animal; substituto lácteo elaborado com cana para caprinos e bovinos e pesquisa com leveduras”, revelou o titular da Emepa.