João Pessoa
Feed de Notícias

Emepa e Emater levam aos agricultores tecnologia para contribuir na emissão de baixo carbono

sexta-feira, 25 de agosto de 2017 - 16:42 - Fotos:  Divulgação

Os resultados dos trabalhos de pesquisa do projeto de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) foram apresentados, na manhã desta sexta-feira (25), durante Dia de Campo na Estação da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária – Emepa, em Alagoinha, no Agreste paraibano, que contou com a participação de pesquisadores, extensionistas rurais, estudantes e produtores rurais.

Com resultados considerados positivos, a partir do próximo ano, os benefícios deverão ser levados aos agricultores pela Emater e Emepa, numa parceria com a Embrapa. São duas unidades implantadas no Estado, por meio da Gestão Unificada, vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), sendo uma na Estação Experimental da Emepa em Alagoinha e outra na Estação Experimental em Umbuzeiro, como parte do Plano Estadual de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – Plano ABC.

Nas cinco estações instaladas no Dia de Campo, os participantes tomaram conhecimento acerca dos resultados das estratégias para as diferentes regiões, como aptidão agrícola dos solos onde pode ser implantado o ILPF, recomendações de adubação, sistema de plantio direto, culturas de cobertura da terra, aproveitamento da água da chuva e melhoria do solo e o manejo da fertilidade do solo e desenvolvimento de raízes. Foram abordados ainda temas como alimentação animal, mecanização adaptada a sistemas integrados ILPF.

Segundo o chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Algodão, João Henrique Zonta, o Plano ABC Paraíba tem com meta o plantio de mil hectares com Integração Lavoura-Pecuária e cinco mil hectares com área de Sistema Plantio Direto.

O projeto de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) é do Ministério da Agricultura e da Pecuária (Mapa) e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), tendo a participação do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, com a participação da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, como integrante do Grupo Gestor, e de outros órgãos.

Na Paraíba, o Plano ABC Estadual é composto de sete programas que se completam: recuperação de pastagem degradada, a integração lavoura-pecuária-floresta e o sistema agroflorestal, o sistema de plantio direto, a fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas, tratamento de dejetos animais e adaptação às mudanças climáticas.

Desde julho de 2015, a Emepa conduz o projeto em duas Estações Experimentais localizadas em Alagoinha e Umbuzeiro, com os trabalhos sendo conduzidos e avaliados pelos pesquisadores, devendo estar disponíveis aos agricultores a partir do próximo ano. O projeto de pesquisa integra à Chamada Pública 11/2013-Macroprograma 4 em Rede no Nordeste, que consiste no sistema de integração lavoura, pecuária e floresta.

A área utilizada em Alagoinha é de 1,8 hectares, onde são trabalhadas as pastagens, florestas e produção agrícola: as lavouras de milho e feijão macassar, junto com espécies florestais como sabiá, eucalipto e gliricídia e a brachiaria, têm acompanhamento do pesquisador Rubens Fernandes, chefe da Estação de Alagoinha.

O coordenador do Grupo Gestor do Plano ABC, Demilson Lemos de Araújo, pesquisador do Mapa, destacou o plano como sendo um instrumento de política pública com uma visão diferente de se fazer agricultura, apresentando alternativas para a conservação ou recuperação do solo, aproveitamento da água e aumentando a produtividade. Isso traz maior rendimento econômico para o agricultor.

A proposta é trabalhar a recuperação das áreas degradadas para evitar a desertificação e reduzir o êxodo rural, permitindo que os agricultores possam produzir com mais eficiência, seguindo os padrões recomendados. O presidente da Gestação Unificada, Nivaldo Magalhães, presente no Dia de Campo, lembrou que a Emater e a Emepa têm um corpo técnico à disposição para orientar a todos na implantação destas atividades, além de pesquisadores da Embrapa.

O secretário do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Rômulo Montenegro destacou a importância desta iniciativa para a melhoria do desempenho da pecuária e da agricultura da Paraíba. Por sua vez, o coordenador nacional do Plano ABC, Elvison Ramos, do Mapa, informou que existe a possibilidade de ampliação deste projeto na Paraíba, tão logo os trabalhos das duas unidades estejam consolidadas. “O Plano atende a necessidade do Estado e nossa impressão é de que aqui está evoluindo”, comentou.

Segundo ele, depois de conhecidos os resultados, a preocupação é fazer com que as tecnologias cheguem aos agricultores e que, para tanto, existe uma demanda de técnicos e extensionistas rurais da Emater, pesquisadores da Emepa e da própria Embrapa prontos a atender aos que desejam iniciar a experiência.

Depois de consolidar um programa de pesquisa de melhoramento genético de raças bovinas e caprinas, considerado um dos melhores do País, a Emepa tem se preocupado na produção de forragem para alimentar o rebanho paraibano.