Fale Conosco

17 de junho de 2014

Emepa apoia melhoria da produção de carne de cordeiro orgânica



Producao de Ovinos Organicos 270x220 - Emepa apoia melhoria da produção de carne de cordeiro orgânicaOs produtos orgânicos livres de resíduos químicos estão cada vez mais valorizados pelos consumidores por trazer benefícios à saúde. Após as hortaliças e as frutas, as carnes de ovinos também têm certificação. O Instituto Fazenda Tamanduá, localizado no município de Santa Teresinha, realiza um trabalho nesse segmento e uma parceria feita com a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa) está possibilitando realizar pesquisas para melhoria do sistema de produção orgânico.

A produção de carne de cordeiro orgânica é produzida a partir de um sistema produtivo ambientalmente correto e economicamente viável. Este sistema produtivo passa periodicamente por avaliação e certificação, que garante carne isenta de antibióticos e produtos que podem ser prejudiciais à saúde. Para isso, os ovinos precisam ser alimentados com pastagem livre de agrotóxicos e receber medicamentos fitoterápicos.

De acordo com Pierre Landolt, proprietário do Instituto Fazenda Tamanduá, com a certificação também é possível ter o acesso ao mercado, padronização da qualidade e do produto. Entretanto, esse processo é um pouco complicado, porque a quantidade de inspetores credenciados no Nordeste é reduzida. Além disso, um dos fatores limitantes para produção de carnes de ovinos orgânicos é a falta de frigoríficos apropriados na Paraíba. Porém, atualmente existe um trabalho desenvolvido com o serviço de inspeção municipal e o Ministério da Agricultura, que poderá ser uma solução para esse problema.

Pierre Landolt destaca ainda o trabalho que a Emepa vem desenvolvendo na ovinocultura. “Temos a sorte de trabalhar com pessoas que têm conhecimento em ovinos há mais tempo do que eu. Com esse projeto, levaremos ao produtor nordestino um sistema de produção simples e adaptável à realidade local do semiárido”.

Certificação –Qualquer produtor pode conseguir a certificação. Para isso, é necessário entrar em contato com as empresas fiscalizadoras e seguir as exigências que são determinadas. Os principais órgãos certificadores no Brasil são o Instituto Biodinâmico (IBD), credenciado pela Federação Internacional de Agricultura Orgânica (Ifoam),com selo aceito em mercados internacionais, e a Associação de Agricultura Orgânica (AAO), que tem seu selo aceito apenas no mercado nacional. Ambos recebem a capacidade de certificação por delegação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que realiza inspeções nas certificadoras para garantir o respeito às normas que foram estabelecidas.Pierre Landolt com representantes da Emepa e da Fazenda Tamandua 270x179 - Emepa apoia melhoria da produção de carne de cordeiro orgânica

Segundo o coordenador do projeto, Wandrick Hauss de Sousa, esse trabalho realizado em parceria com a Fazenda Tamanduá permitirá compartilhar o conhecimento que o instituto tem nesse segmento. “A Emepa tem uma grande experiência em produção de caprinos e ovinos, pesquisa e desenvolvimento, mas ainda não tinha trabalhado com produção orgânica. Essa parceria abriu as portas para uma nova linha de pesquisa, que vai dividir conhecimento com parceiros, pequenos e médios produtores. O Instituto entrará com a certificação e todo pacote tecnológico de produção de ovino orgânico, porque ele tem o abate e a comercialização de forma organizada”.

Para o presidente da Emepa, Manoel Duré, é uma preocupação do Governo do Estado desenvolver mais em produção orgânica, investindo cada vez mais em uma cultura agroecológica, visando o bem-estar e a saúde da população por meio da produção de produtos saudáveis.