Fale Conosco

4 de junho de 2013

Emater participa de encontro sobre Pesquisas e Práticas de Educação do Campo da Paraíba



A Emater Paraíba vai levar suas experiências para os participantes do II Encontro de Pesquisas e Práticas em Educação do Campo, que começa nesta quarta-feira (5) e segue até a próxima sexta–feira (7), no Campus da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa. O evento tem como objetivo fortalecer e movimentar a troca de experiências de educação no campo e se destina a estudantes de graduação e pós-graduação, militantes dos movimentos sociais e professores de educação básica e de ensino superior.

Promovido pelo Observatório da Educação do Campo, UFPB e Programa de Pós-Graduação em Educação – com o apoio de instituições e movimentos que se dedicam ao trabalho com a Educação do Campo na Paraíba –, o encontro conta com a participação de mais de 400 pessoas.

A ideia, de acordo com a extensionista social da Emater Paraíba e participante do evento, Ivanalda Dantas, é reunir pesquisadores, estudantes, militantes e educadores que desenvolvem suas atividades junto aos sujeitos do campo num momento privilegiado para o intercâmbio, a socialização e a discussão das experiências de pesquisas e práticas em educação do campo.

O convite é extensivo a todas as pessoas interessadas na temática, principalmente aquelas que comungam com a luta dos povos do campo pelo direito a uma educação de qualidade, que contemple suas experiências de vida, cultura e de educação na perspectiva de viverem momentos de trocas, de partilhas.

Ivanalda Dantas informou que entre as instituições que desenvolvem ações inseridas no contexto da educação do campo destaca-se a Emater, que inclui em seu Plano de Atividades ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), pautadas nos princípios da Política Nacional de Ater (Pnater) e da Educação Popular do Campo. “Especialmente reconhecendo a construção de novos ideais, a valorização e o reconhecimento da vida e do lugar dos sujeitos do campo, da diversidade e dos seus saberes”, enfatizou.

As experiências de educação do campo que vêm sendo realizadas em diferentes espaços e por diferentes grupos – seja de movimentos sociais, organizações de camponeses, de estudantes e de professores e as lutas que resultaram em definições políticas e programas – desaguaram nas universidades provocando a realização de cursos voltados para os sujeitos do campo, a efetivação de ações de extensão e de pesquisas em parcerias com os movimentos e organizações do campo.

Na UFPB, as ações ocorrem desde 1999, quando foi efetivado, pelo Centro de Educação, o primeiro projeto de Alfabetização do Pronera, em parceria com o Incra e os movimentos sociais. Desde então, vários projetos envolvendo alfabetização de jovens e adultos, ensino médio, superior e pós-graduação foram efetivados, gerando um acúmulo de reflexões que estão motivando esses encontros.