João Pessoa
Feed de Notícias

Emater Paraíba promove curso sobre cerâmica para indígenas potiguaras

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 - 11:22 - Fotos:  Divulgação

Numa ação desenvolvida pela Emater Paraíba e parceiros, como o Ministério do Desenvolvimento Agrário/Secretaria da Agricultura Familiar e prefeitura de Marcação, foi encerrado o curso sobre a técnica de revitalização da arte cerâmica na Aldeia Ybykuara, em Marcação, no Litoral Norte, com a participação de indígenas que, a partir de agora, vão trabalhar seus produtos com novas técnicas e, com isso, conquistar novos mercados.

O objetivo do curso foi revitalizar a arte cerâmica potiguara entre os povos indígenas. O curso foi ministrado pelo professor de arte cerâmica Márcio Rodrigues. O indígena e professor potiguara da língua Tupi, Pedro Eduardo, disse que a “cerâmica é tão importante para os indígenas que cantam na música do Toré”.

O cacique Oliveiro José de Lima, da Aldeia Ybykuara destacou o curso como sendo importante para todos. O prefeito de Marcação, Adriano de Oliveira Barreto, também ressaltou a importância do curso e agradeceu a parceria com a Emater Paraíba. A prefeitura doou o material para a construção do forno onde será cozinhada a cerâmica do povo indígena potiguara.

No encerramento do curso, o extensionsita Guilherme do Nascimento falou sobre a importância da revitalização da arte cerâmica para o povo potiguara, como soerguimento da cultura deste povo, e lembrou que a partir de agora todos terão uma nova opção de renda familiar.

Ele também destacou o trabalho realizado pela Emater Paraíba na área das aldeias indígenas no Litoral Norte, como intercâmbio de artesanato em Campina Grande,  encontro indígena potiguara na Aldeia São Miguel, intercâmbio sobre mel em São José dos Cordeiros, cursos sobre agroecologia no Conde, atividades práticas em compostagem na Aldeia Lagoa do Mato e cursos sobre as culturas de mandioca e inhame e de apicultura no Conde.

“Tudo isso é fruto da parceria entre Governo do Estado, por meio da Emater, com o MDA/SAF, com recursos do Pronater Indígenas”, afirmou Guilherme.